acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Movimentação

Pecém assume vocação após dez anos

12/08/2011 | 10h41
Dez anos após o início da operação comercial, o Terminal Portuário do Pecém profissionaliza a atividade de movimentar cargas gerais e contêineres. Com a inauguração do Terminal de Múltiplo Uso (Tmut), o porto passa a ter espaço e equipamentos adequados a esses negócios.
 

Mas nem sempre foi assim. O píer 1 fora construído para servir a uma siderúrgica - que não veio. O píer 2, para ser utilizado pela Petrobras – o que pouco aconteceu. A inicial tentativa de movimentar granel cedeu ao fracasso.
 

As cargas gerais começaram a crescer no píer 1, enquanto o espaço da estatal foi adaptado ao terminal de Gás Natural Liquefeito (GNL). Todas as cargas gerais e contêineres foram transferidas ao Tmut , explica o secretário da Infraestrutura do Estado, Adail Fontenele.
 

“(O Tmut) É uma obra que o Governo do Estado tenta fazer há muito tempo. Vai atender em escala maior a exportação do Ceará. A demanda vai aumentar, sem dúvida. Além de características favoráveis pela localização, agora tem profundidade para acolher navio de grande calado, com até 18 metros”, comentou o secretário.
 

O Pecém começa a ter corpo regional. Já atende à Pernambuco, Bahia e Piauí.
 

Carência para minérios
 
Apesar da ampliação e da modernização, o Porto do Pecém ainda é deficiente para a exportação mineral. “Minérios vão operar no píer 1. Os descarregadores vão ficar fixos lá”, informa Fontenele.
 
 
A Globest Ceará Mineradora explora minério de ferro no Estado. O diretor administrativo da empresa, Wei Lip Wu, afirmou estar produzindo em quantidades proporcionais à logística disponível e à capacidade de operação portuária.
 

“A gente continua improvisando com a inauguração do Tmut. Melhora, porque aumenta a disponibilidade de berço para atracação de navios. Antes, a gente brigava com dois berços”, lembra Wei.
 

Fontenele reforça que o Tmut não vai ser usado para negócios minerais. “A Globest vai ter que se adequar a essa nova estrutura de carregar e descarregar. Tudo de minérios é no píer 1”.

A perspectiva é de, até dezembro de 2011, exportar cerca de 300 mil toneladas (t) de minério à China. Em 2010, o projeto piloto da mineradora levou 75 mil t do produto à Xangai (CH).
 
 
NÚMEROS
 

2,5 anos foi o tempo necessário para realização das obras de ampliação e modernização do Terminal Portuário do Pecém
 
 
2,4 mil toneladas por hora é a quantidade de vasão da correia transportadora instalada no Complexo Industrial do Pecém


Fonte: Diário do Nordeste
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar