acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

PDVSA negocia refinaria com Roseana

28/10/2011 | 09h48
As desavenças com a Petrobrás quanto à participação na sociedade empresarial que constrói em Pernambuco a Refinaria Abreu e Lima já levam a petroleira PDVSA, da Venezuela, a buscar alternativas para se instalar no Brasil. O presidente venezuelano, Hugo Chávez, conversou no último dia 25 com a governadora Roseana Sarney sobre a possibilidade de construir uma refinaria no Maranhão, sem a Petrobrás.

A reunião com Chávez ocorreu em Caracas e foi intermediada pelo ex-ministro José Dirceu, entusiasta da parceria entre a Petrobrás e a estatal PDVSA. Participaram também o embaixador da Venezuela no Brasil, Maximilien Arveláin, o presidente da PDVSA e ministro de Energia e Petróleo local, Rafael Ramirez, e o diretor executivo da petroleira no Brasil, Sérgio Tovar.

O motivo da nova insatisfação da PDVSA com a Petrobrás é a conta apresentada pela companhia brasileira, que quer ser ressarcida em 40% dos gastos que teve até agora na construção da refinaria. Além disso, a estatal venezuelana assumira R$ 4 bilhões do empréstimo de R$ 10 bilhões aprovado pelo BNDES para a obra. Com previsão de ser inaugurada no primeiro semestre de 2013, a Abreu e Lima está 40% pronta, de acordo com a Petrobrás.

Nem a Petrobrás nem a PDVSA divulgam os valores que estão sendo negociados. Representantes das empresas vêm se reunindo desde o último dia 14, sem chegar a um acordo. A PDVSA não aceita pagar o dinheiro cobrado pela empresa brasileira, sob o argumento de que, em comparação com o mercado internacional, os preços da Petrobrás estão muito elevados. A Petrobrás estipulou o prazo de 30 de novembro para receber os 40%.


Estudos

Como insiste em colocar seus produtos no mercado brasileiro, especialmente nas regiões Norte e Nordeste, a PDVSA começou a estudar, a partir do impasse com a Petrobrás, a hipótese de deixar a parceria na Abreu e Lima, desde que consiga terreno e dinheiro para construir outra refinaria.

O problema é que a Petrobrás também já está construindo uma refinaria no Maranhão, com o apoio do governo estadual. Talvez por isso a viagem de Roseana a Caracas estava sendo mantida em sigilo. Ela embarcou na terça-feira. Voltou anteontem, após o encontro com Chávez. O secretário de Comunicação do Maranhão, Sérgio Macedo, negou a viagem. Segundo ele, Roseana não sai do Brasil há três meses.

Dirceu também viajou para Caracas na terça-feira (25). Voltaria ontem (27) da Venezuela, segundo sua assessoria. Ele negou, por meio da assessoria, que tenha estado com Roseana.

O diretor de Abastecimento da Petrobrás, Paulo Roberto Costa, disse desconhecer o assunto. Em tese, afirmou considerar não haver "sentido algum" em se construir duas refinarias no Maranhão.


Fonte: Agência Estado
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar