acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Eólica

Parques operados pela Suzlon apresentam os melhores índices de desempenho

26/02/2013 | 10h57
Parques operados pela Suzlon apresentam os melhores índices de desempenho
Divulgação Divulgação

 

O Grupo Suzlon, quinto maior fabricante global de turbinas eólicas, comemora os bons índices alcançados nos 11 parques operados pela empresa no Brasil. Segundo boletim divulgado pelo Operador Nacional do Sistema (ONS), os quatro melhores resultados em 2012 foram verificados nos parques de Icaraizinho, Canoa Quebrada, Bons Ventos, Enacel e Praia Formosa, no Ceará, cuja gestão e manutenção são feitas pela Suzlon.
Segundo a empresa, em 2013 os investimentos continuarão com o objetivo de aperfeiçoar operações e ampliar o conteúdo local da produção de equipamentos, como geradores elétricos e rolamentos, entre outros. O orçamento da companhia para este ano será de U$ 20 milhões.
Em junho de 2012, a Suzlon iniciou a produção de painéis elétricos e montagem de hubs (parte frontal da turbina), em Maracanaú (CE), com  capacidade de produção de equipamentos que gerarão 400 MW.
Este modelo de sucesso empregado no Brasil será adotado nos demais países da América Latina. A partir do mês de março, a companhia será a base para todos os negócios da região, que até junho terá um novo plano de investimentos, visando um potencial de negócios de 2.300 MW. A meta é que a região responda por 20% dos negócios da empresa no mundo.
O atual presidente da Suzlon Brasil, Arthur Lavieri, assumirá uma vaga no conselho supervisório da holding e será substituído no país pelo vice-presidente de Mercados Emergentes da Suzlon, Rohit Modi.
"É com orgulho que assumo este novo desafio. A operação no Brasil é referência para o grupo no mundo devido a seus excelentes resultados, fruto de um trabalho dedicado e eficiente da nossa equipe. Queremos expandir essa experiência para outros projetos e nossos primeiros focos serão o Chile, Uruguai e México", afirma Lavieri.
No Brasil
A Suzlon responde hoje, no país, por uma capacidade instalada de 388 MW num mercado com alto potencial de crescimento. Além destes, está construindo parques que irão gerar 363 MW. A companhia opera 185 turbinas em 11 parques eólicos e detém índices de disponibilidade acima de 98% em média, uma performance que se destaca em níveis globais.
Geograficamente, a companhia está presente em três estados. O Ceará abriga sua sede, o Centro de Monitoramento 24h, as unidades de fabricação e a central de logística. O escritório administrativo e de vendas está situado em São Paulo. Já os parques eólicos operados pela Suzlon estão distribuídos na Região Nordeste, nos estados do Ceará e Paraíba.

O Grupo Suzlon, quinto maior fabricante global de turbinas eólicas, comemora os bons índices alcançados nos 11 parques operados pela empresa no Brasil. Segundo boletim divulgado pelo Operador Nacional do Sistema (ONS), os quatro melhores resultados em 2012 foram verificados nos parques de Icaraizinho, Canoa Quebrada, Bons Ventos, Enacel e Praia Formosa, no Ceará, cuja gestão e manutenção são feitas pela Suzlon.


Segundo a empresa, em 2013 os investimentos continuarão com o objetivo de aperfeiçoar operações e ampliar o conteúdo local da produção de equipamentos, como geradores elétricos e rolamentos, entre outros. O orçamento da companhia para este ano será de U$ 20 milhões.


Em junho de 2012, a Suzlon iniciou a produção de painéis elétricos e montagem de hubs (parte frontal da turbina), em Maracanaú (CE), com  capacidade de produção de equipamentos que gerarão 400 MW.


Este modelo de sucesso empregado no Brasil será adotado nos demais países da América Latina. A partir do mês de março, a companhia será a base para todos os negócios da região, que até junho terá um novo plano de investimentos, visando um potencial de negócios de 2.300 MW. A meta é que a região responda por 20% dos negócios da empresa no mundo.


O atual presidente da Suzlon Brasil, Arthur Lavieri, assumirá uma vaga no conselho supervisório da holding e será substituído no país pelo vice-presidente de Mercados Emergentes da Suzlon, Rohit Modi.
"É com orgulho que assumo este novo desafio. A operação no Brasil é referência para o grupo no mundo devido a seus excelentes resultados, fruto de um trabalho dedicado e eficiente da nossa equipe. Queremos expandir essa experiência para outros projetos e nossos primeiros focos serão o Chile, Uruguai e México", afirma Lavieri.



No Brasil


A Suzlon responde hoje, no país, por uma capacidade instalada de 388 MW num mercado com alto potencial de crescimento. Além destes, está construindo parques que irão gerar 363 MW. A companhia opera 185 turbinas em 11 parques eólicos e detém índices de disponibilidade acima de 98% em média, uma performance que se destaca em níveis globais.


Geograficamente, a companhia está presente em três estados. O Ceará abriga sua sede, o Centro de Monitoramento 24h, as unidades de fabricação e a central de logística. O escritório administrativo e de vendas está situado em São Paulo. Já os parques eólicos operados pela Suzlon estão distribuídos na Região Nordeste, nos estados do Ceará e Paraíba.



Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar