acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Desenvolvimento

Parque Tecnológico de Juiz de Fora impulsiona Zona da Mata

12/09/2013 | 10h52

 

O Parque Científico e Tecnológico de Juiz de Fora (PCTJF) começa a sair do papel com a possibilidade real de ser o grande vetor de desenvolvimento da Zona da Mata. O Plano de Negócios, coordenado pela Fundação Dom Cabral (FDC), foi entregue ao secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues, pelo responsável do parque, professor Paulo Nepomuceno (UFJF).
O Plano de Negócios do parque foi iniciado em novembro de 2012, com a contratação da Fundação Dom Cabral para coordenar a elaboração do documento, que teve a parceria de bolsistas do Centro Regional de Inovação e Transferência de Tecnologia (CRITT) e professores da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Para o desenvolvimento do estudo foram realizados quatro workshops com parceiros do parque, entre eles a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes) e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig). Ao todo, o Governo de Minas já investiu R$3.651.500,00 nos projetos urbanístico, arquitetônico e no Plano de Negócios.
O secretário Narcio Rodrigues elogiou o trabalho apresentado e disse que Juiz de Fora entra numa nova fase de desenvolvimento com o Parque Científico e Tecnológico, que será fundamental para a inovação, com a atração de novas empresas de alto conteúdo tecnológico e geração de novos empregos. A área total do terreno é de 922.000 metros quadrados e as obras estão previstas para serem iniciadas ainda neste semestre. Também esteve com o secretário Narcio Rodrigues, o professor Vladmiro Miranda, que apresentou o Instituto de Engenharia de Sistemas de Computadores (INESC), centro de pesquisas português interessado em instalar laboratório no futuro parque da zona da Mata.
O INESC prevê parcerias com o parque nos laboratórios de Smart Grid, certificação de águas e robótica aplicada à inspeção ambiental, que fazem parte do Plano de Desenvolvimento do empreendimento. Para Paulo Nepomuceno, o documento, que ficou pronto 16 dias antes do prazo estabelecido, significa um marco na história do parque. O documento vai nortear os rumos do parque em todos os aspectos.
O Programa de Apoio aos Parques Tecnológicos do Governo de Minas tem investido na construção desses espaços de inovação a fim de estimular a diversificação da economia mineira. Já foram inaugurados os parques tecnológicos de Belo Horizonte, Viçosa e Itajubá. Outros investimentos estão sendo feitos nos parques Lavras e Uberaba. Vários municípios também estão se preparando para viabilizar seus projetos de parques tecnológicos e, consequentemente, serem incluídos no programa mineiro. A Sectes também coordena e direciona investimentos ao Programa de Apoio às Incubadoras de Empresas de Base Tecnológica.

O Parque Científico e Tecnológico de Juiz de Fora (PCTJF) começa a sair do papel com a possibilidade real de ser o grande vetor de desenvolvimento da Zona da Mata. O Plano de Negócios, coordenado pela Fundação Dom Cabral (FDC), foi entregue ao secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues, pelo responsável do parque, professor Paulo Nepomuceno (UFJF).


O Plano de Negócios do parque foi iniciado em novembro de 2012, com a contratação da Fundação Dom Cabral para coordenar a elaboração do documento, que teve a parceria de bolsistas do Centro Regional de Inovação e Transferência de Tecnologia (CRITT) e professores da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Para o desenvolvimento do estudo foram realizados quatro workshops com parceiros do parque, entre eles a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes) e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig). Ao todo, o Governo de Minas já investiu R$3.651.500,00 nos projetos urbanístico, arquitetônico e no Plano de Negócios.


O secretário Narcio Rodrigues elogiou o trabalho apresentado e disse que Juiz de Fora entra numa nova fase de desenvolvimento com o Parque Científico e Tecnológico, que será fundamental para a inovação, com a atração de novas empresas de alto conteúdo tecnológico e geração de novos empregos. A área total do terreno é de 922.000 metros quadrados e as obras estão previstas para serem iniciadas ainda neste semestre. Também esteve com o secretário Narcio Rodrigues, o professor Vladmiro Miranda, que apresentou o Instituto de Engenharia de Sistemas de Computadores (INESC), centro de pesquisas português interessado em instalar laboratório no futuro parque da zona da Mata.


O INESC prevê parcerias com o parque nos laboratórios de Smart Grid, certificação de águas e robótica aplicada à inspeção ambiental, que fazem parte do Plano de Desenvolvimento do empreendimento. Para Paulo Nepomuceno, o documento, que ficou pronto 16 dias antes do prazo estabelecido, significa um marco na história do parque. O documento vai nortear os rumos do parque em todos os aspectos.


O Programa de Apoio aos Parques Tecnológicos do Governo de Minas tem investido na construção desses espaços de inovação a fim de estimular a diversificação da economia mineira. Já foram inaugurados os parques tecnológicos de Belo Horizonte, Viçosa e Itajubá. Outros investimentos estão sendo feitos nos parques Lavras e Uberaba. Vários municípios também estão se preparando para viabilizar seus projetos de parques tecnológicos e, consequentemente, serem incluídos no programa mineiro. A Sectes também coordena e direciona investimentos ao Programa de Apoio às Incubadoras de Empresas de Base Tecnológica.

 



Fonte: Ascom Agência Minas
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar