acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Mercado

Países da Opep vendem títulos do Tesouro dos EUA

23/01/2007 | 00h00

Preço do petróleo cai e nações produtoras capitalizam-se

Os países-membros da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) estão vendendo títulos do Tesouro dos Estados Unidos há três meses, o que não acontecia há mais de três anos à medida que os preços do petróleo bruto despencam, o que tem elevado os rendimentos dos papéis. Países exportadores como a Indonésia, a Arábia Saudita e a Venezuela venderam 9,4%, ou US$ 10,1 bilhões, em títulos da dívida do governo dos EUA no período de três meses encerrado em novembro passado, segundo dados do Departamento do Tesouro americano. A última vez em que os membros da Opep venderam notas do Tesouro americano por três meses consecutivos foi em junho de 2003.

Os países produtores de petróleo superaram os bancos centrais asiáticos como detentores da maior poupança mundial, tendo acumulado estimados US$ 500 bilhões apenas em 2006, segundo pesquisa realizada pela Pacific Investment Management Co. (Pimco). As vendas concretizadas durante esses três meses marcam uma reversão de tendência, uma vez que os países-membros da Opep elevaram suas reservas de notas do Tesouro americano em 70%, para US$ 97 bilhões, nos últimos 17 meses, mostram dados do Tesouro dos EUA. "Haverá uma venda maciça significativa", disse em entrevista Joseph Stiglitz, prêmio Nobel de economia e professor da matéria na Universidade de Columbia em Nova York. "Os rendimentos de médio e longo prazo subirão."

Os países produtores de petróleo, entre os quais os que não fazem parte da Opep, revelaram possuir quase US$ 200 bilhões em bônus de departamentos da administração direta, de empresas e do governo americanos, disse Ramin Toloui, que auxilia na administração de aproximadamente US$ 641 bilhões em ativos para a Pimco, de Newport Beach, no Estado da Califórnia, subsidiária da Allianz SE, empresa sediada em Munique, na Alemanha. As reservas estão divididas quase que eqüitativamente entre títulos com vencimento em menos de um mês e outros com vencimentos mais longos.

Os países-membros da Opep estão vendendo notas do Tesouro dos EUA devido ao fato de os preços do petróleo bruto terem recuado 34 %, a partir do recorde histórico de US$ 78,40 o barril, registrado em julho passado. Eles estão reduzindo a demanda por papéis do governo dos EUA ao mesmo tempo em que bancos centrais de países que vão da China à Romênia dizem desejar reduzir suas reservas em ativos denominados em dólares. Para cada US$ 10 de queda no preço do barril de petróleo, os membros da Opep corrigem suas reservas em títulos do Tesouro dos EUA em cerca de US$ 34 bilhões, segundo estimativas de Michael Pond, estrategista de taxas de juros no Barclays Capital Inc. em Nova York. A venda dessa quantia eleva os rendimentos dos papéis em 0,05 ponto percentual, disse ele.



Fonte: Bloomberg News
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar