acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

OSX apresenta resultados do 3° trimestre

30/10/2012 | 13h53

 

A OSX, empresa do Grupo EBX que atua na indústria naval e offshore, comunicou nesta terça-feira (30) que fechou o 3º trimestre de 2012 com Ebitda (lucro antes de juros e impostos) de R$ 13,1 milhões e lucro líquido de R$ 8,17 milhões. O caixa consolidado da companhia e de suas controladas em 30/09 era de R$ 1,2 bilhão.
“Neste trimestre, obtivemos importante expansão de nossa base de clientes, passando a incluir diretamente a Petrobras, símbolo maior do setor de óleo e gás brasileiro", comentou Carlos Bellot, diretor presidente da OSX no relatório da empresa.
Entre as importantes realizações destacadas pela empresa estão:
· EBITDA acumulado em 2012 de R$ 49,6 milhões (9M12)
· Exercício da opção outorgada à OSX pelos acionistas controladores (put option) em US$ 500 milhões (aprox. R$ 1,01 bilhão) a serem integralizados até março de 2013 e extensão do prazo do contrato dessa opção até março de 2014 com novo compromisso de mais até US$ 500 milhões
· Priorização de financiamento adicional de até R$ 1,5 bilhão para construção da Unidade de Construção Naval da OSX no Açu com recursos oriundos do Fundo da Marinha Mercante
· Assinatura de contratos com a Petrobras para integração de 2 FPSOs Replicantes
· FPSO OSX-1 com eficiência operacional média de 99,4% no 3T12
· Formatura das primeiras turmas do Programa de Capacitação Profissional em Construção Naval, realizado no ITN - Instituto Tecnológico Naval em parceria com o SENAI/FIRJAN, e contratação de 85 desses alunos para a UCN
· Construção da UCN Açu com 4.000.000 de homem-horas sem acidentes com afastamento
OSX Construção Naval
As obras da Unidade de Construção Naval do Açu (UCN Açu) no Complexo Industrial do Superporto do Açu, em São João da Barra, norte do estado do Rio de Janeiro, iniciadas em julho de 2011, seguem no ritmo previsto, para início de operação parcial no primeiro trimestre de 2013 e conclusão no segundo trimestre de 2014. O custo de construção da UCN Açu foi atualizado para cerca de R$ 4,8 bilhões com o  redimensionamento do projeto na atual locação, de custos setoriais e variação cambial do período. Construção da UCN Açu alcançou 4.000.000 de homem-horas sem acidentes com afastamento.
Carteira de Pedidos
Atualmente, a OSX está gerindo uma ampla carteira de unidades navais para a indústria brasileira de petróleo e gás, sendo 5 FPSOs e 4 WHPs para a OGX, 1 navio PLSV para a Sapura, 11 navios-tanque MR para a Kingfish e a integração de 2 FPSOs replicantes para a Petrobras. Ao longo do trimestre, a OSX manteve a sua estratégia de expansão e diversificação de sua clientela.
Ao longo do terceiro trimestre, a eficiência operacional média do FPSO OSX-1 foi de 99,4%. Obtenção da certificação do ISPS CODE pela empresa certificadora Bureau Veritas. Trata-se do Código Internacional para proteção de Navios e Instalações Portuárias (International Ship and Port Facility Security Code) que estabelece determinadas regras que tornam os navios e instalações portuárias mais seguras em atendimento ao Capítulo XI-2 da Convenção Internacional para a Salvaguarda da Vida Humana no Mar de 1974.

A OSX, empresa do Grupo EBX que atua na indústria naval e offshore, comunicou nesta terça-feira (30) que fechou o 3º trimestre de 2012 com Ebitda (lucro antes de juros e impostos) de R$ 13,1 milhões e lucro líquido de R$ 8,17 milhões. O caixa consolidado da companhia e de suas controladas em 30/09 era de R$ 1,2 bilhão.


“Neste trimestre, obtivemos importante expansão de nossa base de clientes, passando a incluir diretamente a Petrobras, símbolo maior do setor de óleo e gás brasileiro", comentou Carlos Bellot, diretor presidente da OSX no relatório da empresa.


Entre as importantes realizações destacadas pela empresa estão:


· EBITDA acumulado em 2012 de R$ 49,6 milhões (9M12);
· Exercício da opção outorgada à OSX pelos acionistas controladores (put option) em US$ 500 milhões (aprox. R$ 1,01 bilhão) a serem integralizados até março de 2013 e extensão do prazo do contrato dessa opção até março de 2014 com novo compromisso de mais até US$ 500 milhões;
· Priorização de financiamento adicional de até R$ 1,5 bilhão para construção da Unidade de Construção Naval da OSX no Açu com recursos oriundos do Fundo da Marinha Mercante;
· Assinatura de contratos com a Petrobras para integração de 2 FPSOs Replicantes;
· FPSO OSX-1 com eficiência operacional média de 99,4% no 3T12;
· Formatura das primeiras turmas do Programa de Capacitação Profissional em Construção Naval, realizado no ITN - Instituto Tecnológico Naval em parceria com o SENAI/FIRJAN, e contratação de 85 desses alunos para a UCN;
· Construção da UCN Açu com 4.000.000 de homem-horas sem acidentes com afastamento.


OSX Construção Naval


As obras da Unidade de Construção Naval do Açu (UCN Açu) no Complexo Industrial do Superporto do Açu, em São João da Barra, norte do estado do Rio de Janeiro, iniciadas em julho de 2011, seguem no ritmo previsto, para início de operação parcial no primeiro trimestre de 2013 e conclusão no segundo trimestre de 2014. O custo de construção da UCN Açu foi atualizado para cerca de R$ 4,8 bilhões com o redimensionamento do projeto na atual locação, de custos setoriais e variação cambial do período. Construção da UCN Açu alcançou 4.000.000 de homem-horas sem acidentes com afastamento.


Carteira de Pedidos


Atualmente, a OSX está gerindo uma ampla carteira de unidades navais para a indústria brasileira de petróleo e gás, sendo 5 FPSOs e 4 WHPs para a OGX, 1 navio PLSV para a Sapura, 11 navios-tanque MR para a Kingfish e a integração de 2 FPSOs replicantes para a Petrobras. Ao longo do trimestre, a OSX manteve a sua estratégia de expansão e diversificação de sua clientela.


Ao longo do terceiro trimestre, a eficiência operacional média do FPSO OSX-1 foi de 99,4%. Obtenção da certificação do ISPS CODE pela empresa certificadora Bureau Veritas. Trata-se do Código Internacional para proteção de Navios e Instalações Portuárias (International Ship and Port Facility Security Code) que estabelece determinadas regras que tornam os navios e instalações portuárias mais seguras em atendimento ao Capítulo XI-2 da Convenção Internacional para a Salvaguarda da Vida Humana no Mar de 1974.



Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar