acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Opinião

Os motivos da elevação do nível do Cantareira, por Eduardo Antônio Giansante

24/02/2015 | 10h33
Os motivos da elevação do nível do Cantareira, por Eduardo Antônio Giansante
Divulgação Sabesp Divulgação Sabesp

De acordo com Eduardo Antônio Giansante, o aumento do nível das águas dos reservatórios do Sistema Cantareira é bem-vindo, mas não se pode criar ilusões de que a crise está vencida. Ele ressalta que é possível que tenhamos que conviver com situação durante aproximadamente dois anos, caso não aconteçam chuvas excepcionais. 

Mas por que está aumentando o nível do sistema mesmo sem chuvas?  O professor explica que a primeira resposta está na inércia do movimento das águas, onde o efeito das chuvas em um rio se estenderia por horas ou até dias. 

Conforme o especialista, o segundo fator refere-se à contribuição do solo que é o local com maior potencial de reserva d’água pelos poros que lá existem. “As primeiras chuvas no sistema provavelmente preencheram esses vazios, pois o solo estava muito seco. Passada essa fase de enchimento de poros, a água lá presente começaria a fluir e perenizar os rios, aumentando a vazão superficial disponível para diversos usos”.

Mesmo com a notícia positiva, o especialista alerta para o uso consciente da água. Para ele não é hora de descuidar. “É de suma importância que a população continue a economizar a água” - afirma.

Mesmo sem chuva o nível do Cantareira subiu 0,2 ponto percentual. Segundo o boletim divulgado pela Sabesp, o nível passou de 10,4% para 10,6%, constituindo a 18ª alta consecutiva. Segundo a companhia, quando o Cantareira atingir 10,7%, numericamente o sistema terá recuperado a segunda cota e entrará no primeiro volume morto, que vai até 18,5% do nível total.

Eduardo Antônio Giansante é professor de Engenharia Hidráulica da Universidade Presbiteriana Mackenzie.



Fonte: Redação / Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar