acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Redução

Opep hesita em adotar novo corte

14/12/2006 | 00h00

Reunida desde ontem em Abuja, capital da Nigéria, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) parece hesitar em reduzir novamente sua produção pela segunda vez em dois meses, com os preços do petróleo acima dos 60 dólares o barril e uma economia mundial ainda sem rumo certo.

Os ministros começaram a chegar à cidade nigeriana para a reunião e defenderam pontos de vistas contraditórios sobre a necessidade de diminuir agora a produção de óleo cru da Opep, atualmente estimada em 28,9 milhões de barris por dia (mbd).

Irã, Argélia e Venezuela defenderam abertamente o corte na produção, mas a Líbia se opõe, argumentando que a situação atual é satisfatória. O presidente da Opep (e ministro do Petróleo da Arábia Saudita), Ali al-Nouaïmi, limitou-se a declarar que o cartel "tomou uma boa decisão em Doha", quando reduziu sua produção em 1,2 milhão de barris por dia, contribuindo assim para a estabilidade do mercado. "Nós temos provavelmente ainda um pouco de trabalho a fazer para tornar o mercado mais estável", acrescentou.

Estes propósitos podem ser interpretados como um apoio a uma proposta de baixa da produção ou a um maior respeito às metas fixadas em Doha, disse um analista presente à capital nigeriana.



Fonte: Jornal do Commercio
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar