acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Rio Pipeline 2007

Onip e IBP lançam Quem é Quem da indústria nacional de dutos

03/10/2007 | 00h00
O Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP) lançou ontem (2), durante a Rio Pipeline 2007, a 2ª edição do Quem é Quem no Segmento de Dutos no Brasil. Cerca de 500 empresas de serviços e equipamentos do setor foram listadas no guia organizado pela Organização Nacional da Indústria do Petróleo (Onip) e pelo IBP.

O Quem é Quem foi lançado no estande do Centro de Tecnologia em Dutos (CTDUT) e terá uma tiragem inicial de 2 mil cópias, que serão distribuídas durante a Rio Pipeline, mas que poderá também poderá ser adquirida no IBP e na Onip.

“A publicação tem o objetivo de aumentar a divulgação das empresas nacionais no mercado”, afirma o gerente de Tecnologia do IBP e presidente de conselho executivo do CTDUT, Raimar Van den Bylaardt.

A primeira versão da publicação foi em 2005.



“O projeto foi produzido a partir do trabalho realizado pela Comissão de Transporte Dutoviário do IBP, que conseguiu construir, no Brasil, um fórum adequado para expor os avanços tecnológicos, compartilhar experiências, mostrar as oportunidades do mercado nacional e internacional e, principalmente, criar oportunidades para a integração e o crescimento da comunidade de dutos”, recorda o diretor geral da Onip, Eloy Fernandéz y Fernandéz.

“As empresas que atuam nas áreas de operação, construção, engenharia, ensino, pesquisa, desenvolvimento e fornecimento de bens e serviços dessa indústria construíram dutos em todo o território nacional. Analisando esse segmento, percebe-se que o mercado nacional está absolutamente inserido nas mais modernas técnicas de engenharia e de preservação ambiental”, ressalta Eloy, acrescentando que, um bom exemplo da atuação do setor é a atual construção do gasoduto Coari-Manaus, em plena selva amazônica, projeto em que estão sendo aplicados conceitos de inovação tecnológica e responsabilidade socioambiental.

“Com a perspectiva de investimentos de U$ 10 bilhões até 2011 para a construção de 9.000 km de dutos, o Brasil desponta como uma promissora alternativa para o setor de transporte dutoviário, ampliando consideravelmente a possibilidade da participação nacional nos empreendimentos previstos, de forma competitiva, ética e sustentável”, afirma o presidente do IBP, João Carlos de Luca. “A nova edição do guia, mais completa e atualizada, traz uma importante contribuição para a indústria, permitindo uma maior integração entre os profissionais desse mercado e a divulgação do potencial das empresas e instituições do segmento de transporte dutoviário no Brasil”.

Fonte: Da redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar