acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Pesquisa e Inovação

Óleo de soja pode reduzir o uso de petróleo em pneus

26/07/2012 | 16h21

 

A Goodyear Tire & Rubber Company anunciou essa semana que pesquisadores do Centro de Inovação da companhia em Akron, Ohio, testaram o uso de óleo de soja na fabricação de pneus. A inovação pode aumentar potencialmente a vida útil da banda de rodagem, em até 10%, e reduzir o uso de compostos à base de petróleo na fabricação em até 7 milhões de litros por ano.
Além disso, testes na fábrica da Goodyear em Lawton, Oklahoma (EUA), mostraram melhores características de mistura no processo de fabricação. A empresa descobriu que os compostos de borracha feitos com óleo de soja se misturam mais facilmente à sílica utilizada na produção de pneus. Isso pode melhorar os níveis de eficiência da fábrica, além de reduzir o consumo de energia e as emissões de gases de efeito estufa.
"A Goodyear tem o compromisso de cuidar do meio-ambiente e das comunidades, e o uso do óleo de soja tem demonstrado ser mais uma maneira de atingir essa meta", afirma Jean-Claude Kihn, vice-presidente sênior e Chief Technical Officer da Goodyear.  "Os consumidores são beneficiados pela maior vida útil da banda de rodagem, a Goodyear ganha com maior eficiência e economia de energia e todos nós somos favorecidos com um impacto positivo no meio-ambiente", conclui.
Os protótipos de pneus construídos em Lawton serão testados nos próximos meses no Campo de Provas da Goodyear, em San Angelo, no Texas (EUA). Se os indicadores permanecerem positivos, a companhia espera tornar os pneus feitos com óleo de soja disponíveis para os consumidores já em 2015.
O United Soybean Board (USB) está ajudando a financiar o projeto com um subsídio de US$ 500 mil ao longo de dois anos. A Goodyear exibirá um pneu feito com óleo de soja em 6 e 7 de agosto no centro de pesquisa da The Ford Motor Company, em Dearborn, Michigan (EUA), como parte de um evento patrocinado pelo USB.
"O United Soybean Board parabeniza a Goodyear por seu compromisso com a sustentabilidade", destaca Russ Carpenter, diretor do Comitê de Novos Usos do USB e produtor de soja do Trumansburg, NY (EUA). "A descoberta contínua de novas aplicações para o óleo de soja valida nosso compromisso com o ambiente, cultivando uma matéria-prima renovável que reduz as emissões de carbono e oferece um substituto natural para alternativas petroquímicas. Produtores de soja do USB e dos Estados Unidos estão animados em apoiar a Goodyear no esforço de fornecer aos consumidores produtos rentáveis e ecologicamente responsáveis".
O uso de óleo de soja é apenas uma das iniciativas que Goodyear está conduzindo para ampliar a utilização de matérias-primas renováveis. A empresa e a DuPont Industrial Biosciences continuam trabalhando juntas no desenvolvimento do BioIsopreno, uma alternativa revolucionária de base biológica para o isopreno derivado do petróleo. O BioIsopreno pode ser usado na produção de borracha sintética - que, por sua vez, é uma alternativa para a borracha natural - e outros elastômeros. O desenvolvimento do BioIsopreno ajudará a reduzir ainda mais a dependência da indústria de pneus e de borracha aos produtos derivados do petróleo. 
Outro esforço da Goodyear em andamento para economizar combustíveis fósseis não renováveis é a Air Maintenance Technology (AMT). A AMT ajuda a manter os pneus calibrados na pressão ideal sem a necessidade de bombas externas nem sistema eletrônico. Todos os componentes do sistema AMT estão totalmente contidos no pneu. Os potenciais benefícios desse sistema são a economia de combustível, menos emissões, maior vida útil do pneu, maior segurança e melhor desempenho.

A Goodyear Tire & Rubber Company anunciou essa semana que pesquisadores do Centro de Inovação da companhia em Akron, Ohio, testaram o uso de óleo de soja na fabricação de pneus. A inovação pode aumentar potencialmente a vida útil da banda de rodagem, em até 10%, e reduzir o uso de compostos à base de petróleo na fabricação em até 7 milhões de litros por ano.


Além disso, testes na fábrica da Goodyear em Lawton, Oklahoma (EUA), mostraram melhores características de mistura no processo de fabricação. A empresa descobriu que os compostos de borracha feitos com óleo de soja se misturam mais facilmente à sílica utilizada na produção de pneus. Isso pode melhorar os níveis de eficiência da fábrica, além de reduzir o consumo de energia e as emissões de gases de efeito estufa.


"A Goodyear tem o compromisso de cuidar do meio-ambiente e das comunidades, e o uso do óleo de soja tem demonstrado ser mais uma maneira de atingir essa meta", afirma Jean-Claude Kihn, vice-presidente sênior e Chief Technical Officer da Goodyear.  "Os consumidores são beneficiados pela maior vida útil da banda de rodagem, a Goodyear ganha com maior eficiência e economia de energia e todos nós somos favorecidos com um impacto positivo no meio-ambiente", conclui.


Os protótipos de pneus construídos em Lawton serão testados nos próximos meses no Campo de Provas da Goodyear, em San Angelo, no Texas (EUA). Se os indicadores permanecerem positivos, a companhia espera tornar os pneus feitos com óleo de soja disponíveis para os consumidores já em 2015.


O United Soybean Board (USB) está ajudando a financiar o projeto com um subsídio de US$ 500 mil ao longo de dois anos. A Goodyear exibirá um pneu feito com óleo de soja em 6 e 7 de agosto no centro de pesquisa da The Ford Motor Company, em Dearborn, Michigan (EUA), como parte de um evento patrocinado pelo USB.


"O United Soybean Board parabeniza a Goodyear por seu compromisso com a sustentabilidade", destaca Russ Carpenter, diretor do Comitê de Novos Usos do USB e produtor de soja do Trumansburg, NY (EUA). "A descoberta contínua de novas aplicações para o óleo de soja valida nosso compromisso com o ambiente, cultivando uma matéria-prima renovável que reduz as emissões de carbono e oferece um substituto natural para alternativas petroquímicas. Produtores de soja do USB e dos Estados Unidos estão animados em apoiar a Goodyear no esforço de fornecer aos consumidores produtos rentáveis e ecologicamente responsáveis".


O uso de óleo de soja é apenas uma das iniciativas que Goodyear está conduzindo para ampliar a utilização de matérias-primas renováveis. A empresa e a DuPont Industrial Biosciences continuam trabalhando juntas no desenvolvimento do BioIsopreno, uma alternativa revolucionária de base biológica para o isopreno derivado do petróleo. O BioIsopreno pode ser usado na produção de borracha sintética - que, por sua vez, é uma alternativa para a borracha natural - e outros elastômeros. O desenvolvimento do BioIsopreno ajudará a reduzir ainda mais a dependência da indústria de pneus e de borracha aos produtos derivados do petróleo.


Outro esforço da Goodyear em andamento para economizar combustíveis fósseis não renováveis é a Air Maintenance Technology (AMT). A AMT ajuda a manter os pneus calibrados na pressão ideal sem a necessidade de bombas externas nem sistema eletrônico. Todos os componentes do sistema AMT estão totalmente contidos no pneu. Os potenciais benefícios desse sistema são a economia de combustível, menos emissões, maior vida útil do pneu, maior segurança e melhor desempenho.

 



Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar