acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Aquisição

Oiltanking compra 20% do terminal de petróleo do Porto do Açu

06/08/2015 | 11h52
Oiltanking compra 20% do terminal de petróleo do Porto do Açu
Divulgação Divulgação

 

O TOIL está instalado no Terminal 1 (T1) e irá usar a infraestrutura já existente e utilizada pelo terminal de minério de ferro – já em operação. A operação do TOIL está prevista para agosto de 2016 com o transbordo de 200 mil barris de petróleo por dia produzidos pela BG nos campos do pré-sal. O contrato, que foi assinado com a petroleira no início de junho por 20 anos, prevê ainda a possibilidade de expansão para 320 mil barris por dia.
 
“A Prumo conta agora com um parceiro de classe mundial para atender as principais empresas do mundo e ajudá-los a encontrar soluções para os desafios técnicos da produção de petróleo em águas profundas. Acreditamos no nosso investimento na Prumo, e a venda da participação minoritária na subsidiária possibilitará uma melhor avaliação da companhia em relação ao seu atual valor de mercado. O TOIL é apenas uma das oportunidades de negócio que o Porto do Açu pode oferecer para o pré-sal”, disse Robert Blair Thomas, CEO do EIG Global Energy Partners.
 
“A Oiltanking se orgulha em ter a Prumo como parceira no desenvolvimento deste grande terminal para petróleo no Porto do Açu, que irá oferecer as empresas uma operação de transbordo no estado da arte e, no futuro, armazenamento de petróleo, blending e unidade de tratamento. Acreditamos fortemente que o terminal terá um grande impacto positivo na logística e economia do setor de petróleo no Brasil”, disse Daan Vos, diretor geral da Oiltanking.
 
O Porto do Açu é o maior empreendimento portuário privado das Américas. Com 17 km de cais, 90 km² de retroárea e profundidade de até 24 metros, o porto tem capacidade para receber grandes navios. A localização estratégica do Porto do Açu, próximo às Bacias de Campos e Santos – responsáveis por 80% da produção brasileira de petróleo, faz do empreendimento o melhor local para a instalação de indústrias do setor de óleo e gás.
 
O TOIL irá dividir a infraestrutura com o terminal de minério de ferro do Porto do Açu, que começou a operar em 2014 – cerca de 8 anos após o início de seu desenvolvimento. Este investimento já existente, aliado ao licenciamento atual do terminal, proporcionam ao TOIL a vantagem de ser um empreendimento com desenvolvimento avançado.
 
“O desenvolvimento da Prumo está em linha com o nosso plano inicial. A construção da infraestrutura do porto foi concluída com o orçamento previsto, a operação foi iniciada no prazo, reestruturamos o balanço financeiro da companhia, a base de apoio offshore está oficialmente atendendo a Petrobras e agora o Terminal de Petróleo do Porto do Açu é uma realidade. Tudo isto em menos de 2 anos. Estamos orgulhosos das conquistas da Prumo”, disse Thomas.
 
Transbordo
Apesar do atual momento econômico do Brasil, as perspectivas para o Porto do Açu são positivas. Com localização estratégica, área livre para a instalação de empresas e operacional desde outubro de 2014, o Porto do Açu é uma excelente oportunidade para o aumento de eficiência e redução de custos para os clientes.
 
A operação do terminal de transbordo de petróleo é um exemplo da alternativa que o Porto do Açu oferece aos produtores de petróleo, que atualmente precisam realizar este tipo de operação em lugares como Uruguai e Caribe. Estas operações são geralmente realizadas em mar aberto, sem a instalação de barreiras de contenção e com a segurança oferecida no Porto do Açu. Estas alternativas são mais caras para o cliente e mais arriscadas para o meio ambiente.
Na operação ship to ship no Porto do Açu, o óleo será transportado de navios aliviadores para navios convencionais, reduzindo o frete de exportação do petróleo brasileiro em até 60%. A operação é realizada em área abrigada e cercada por barreiras de contenção, o que a torna mais segura e estável, possibilitando sua realização durante todo o ano. A realização do transbordo de forma segura e eficiente é indispensável para o pré-sal, em que o desafio de operar em águas profundas cria a necessidade de utilizar navios DPSTs com tecnologia mais avançada do que os navios tradicionais.
 
Além da operação de transbordo, há plano para que o TOIL do Porto do Açu também ofereça uma variedade de serviços, como armazenamento, blending, tratamento de óleo e outras atividades.
 
Oficina do Pré-sal
Com mais de 40 bilhões de barris, a principal descoberta da história mundial recente, a previsão é que a produção do pré-sal continue crescendo – apesar do atual preço da commodities.
 
Outro exemplo da vantagem logística da Prumo para a indústria de óleo e gás, é a unidade da Edison Chouest Offshore (ECO), que está construindo no empreendimento a maior base de apoio offshore do mundo, com 1.030 km de cais e 15 berços de atracação. A Petrobras assinou um contrato com a Edison Chouest para o uso de seis berços, com operação prevista para novembro deste ano. A base no Porto do Açu diminui o tempo de viagem entre a Bacia de Campos e as bases de apoio atualmente existentes, reduzindo também para menos de um terço o tempo de operação atual, o que contribui para diminuir a quantidade de embarcações que aguardam em fila para atracação. Estes fatores representam uma economia gigantesca nos principais custos da exploração e produção do petróleo, em um momento em que a Petrobras e outros produtores estão focados na redução de custos, além de diminuir a poluição visual das longas filas de navios no Rio de Janeiro que entram Baía de Guanabara.
 
A Prumo também criou uma joint venture com a BP (50% cada empresa) para a comercialização de combustível marítimo no Porto do Açu, fornecendo aos clientes do porto uma alternativa competitiva para reduzir os custos com combustível em suas operações offshore.
 
Além disso, a empresa também assinou um memorando de entendimento com o Grupo Bolognesi para desenvolver projetos de gás, como uma unidade de regaseificação e um hub para o setor. A unidade de regaseificação irá fornecer combustível para o desenvolvimento de projetos de geração de energia térmica, permitindo que o Porto do Açu comece a ofecer gás natural aos seus clientes industriais. Isto também possibilitará uma alternativa para o gás natural produzido no pré-sal, conhecido como gás associado, rentabilizando sua produção.
 
“O TOIL é apenas a ponta do iceberg. A Prumo tem diversos projetos para o futuro, como para gás e energia. O GNL importado é uma forma rápida de se gerar energia no curto prazo, e que pode ser substituída por gás natural da nossa produção nacional no futuro. O Brasil precisa desesperadamente de novas fontes de energia e os produtores de gás precisam rentabilizar o seu produto – o que é bom para os dois lados. Assim como temos diferenciais com o terminal de petróleo, o Porto do Açu também oferece vantagens para o gás natural ", disse Thomas.
 
Sobre Oiltanking
A Oiltanking é uma subsidiaria da Marquard & Bahls, empresa familiar sediada em Hamburg que atua nos segmentos de abastecimento de energia, trading e logística. Oiltanking é a segunda maior empresa independente no mundo de armazenagem de derivados de petróleo, produtos químicos e gases. A empresa detém e opera 73 terminais em 22 países na Europa, Américas do Sul e do Norte, Oriente Médio, África, Índia e Ásia. A Oiltanking tem uma capacidade de armazenagem de 19,4 milhões m3 (122 milhões de barris).
 
A Oiltanking está presente no Brasil desde 2008, através de sua subsidiária, Oiltanking Terminais, oferecendo serviços para o setor de distribuição de combustíveis além de oferecer serviços de armazenagem para outros líquidos a partir do seu terminal em Vitoria, Espirito Santo.

A Prumo Logística, empresa controlada pelo fundo americano EIG Global Energy Partners, assinou contrato com a Oiltanking para a venda de 20% de sua subsidiária que será responsável pelo desenvolvimento do Terminal de Petróleo (TOIL) do Porto do Açu por US$ 200 milhões. A Oiltanking também irá gerenciar as operações de transbordo que serão realizadas no terminal. O TOIL tem capacidade para movimentar até 1,2 milhão de barris de petróleo por dia (bpd) e está preparado para receber os maiores navios utilizados para transporte de petróleo (VLCCs).
 
O TOIL está instalado no Terminal 1 (T1) e irá usar a infraestrutura já existente e utilizada pelo terminal de minério de ferro – já em operação. A operação do TOIL está prevista para agosto de 2016 com o transbordo de 200 mil barris de petróleo por dia produzidos pela BG nos campos do pré-sal. O contrato, que foi assinado com a petroleira no início de junho por 20 anos, prevê ainda a possibilidade de expansão para 320 mil barris por dia.
 
“A Prumo conta agora com um parceiro de classe mundial para atender as principais empresas do mundo e ajudá-los a encontrar soluções para os desafios técnicos da produção de petróleo em águas profundas. Acreditamos no nosso investimento na Prumo, e a venda da participação minoritária na subsidiária possibilitará uma melhor avaliação da companhia em relação ao seu atual valor de mercado. O TOIL é apenas uma das oportunidades de negócio que o Porto do Açu pode oferecer para o pré-sal”, disse Robert Blair Thomas, CEO do EIG Global Energy Partners.
 
“A Oiltanking se orgulha em ter a Prumo como parceira no desenvolvimento deste grande terminal para petróleo no Porto do Açu, que irá oferecer as empresas uma operação de transbordo no estado da arte e, no futuro, armazenamento de petróleo, blending e unidade de tratamento. Acreditamos fortemente que o terminal terá um grande impacto positivo na logística e economia do setor de petróleo no Brasil”, disse Daan Vos, diretor geral da Oiltanking.
 
O Porto do Açu é o maior empreendimento portuário privado das Américas. Com 17 km de cais, 90 km² de retroárea e profundidade de até 24 metros, o porto tem capacidade para receber grandes navios. A localização estratégica do Porto do Açu, próximo às Bacias de Campos e Santos – responsáveis por 80% da produção brasileira de petróleo, faz do empreendimento o melhor local para a instalação de indústrias do setor de óleo e gás.
 
O TOIL irá dividir a infraestrutura com o terminal de minério de ferro do Porto do Açu, que começou a operar em 2014 – cerca de 8 anos após o início de seu desenvolvimento. Este investimento já existente, aliado ao licenciamento atual do terminal, proporcionam ao TOIL a vantagem de ser um empreendimento com desenvolvimento avançado.
 
“O desenvolvimento da Prumo está em linha com o nosso plano inicial. A construção da infraestrutura do porto foi concluída com o orçamento previsto, a operação foi iniciada no prazo, reestruturamos o balanço financeiro da companhia, a base de apoio offshore está oficialmente atendendo a Petrobras e agora o Terminal de Petróleo do Porto do Açu é uma realidade. Tudo isto em menos de 2 anos. Estamos orgulhosos das conquistas da Prumo”, disse Thomas.
 
Transbordo
Apesar do atual momento econômico do Brasil, as perspectivas para o Porto do Açu são positivas. Com localização estratégica, área livre para a instalação de empresas e operacional desde outubro de 2014, o Porto do Açu é uma excelente oportunidade para o aumento de eficiência e redução de custos para os clientes.
 
A operação do terminal de transbordo de petróleo é um exemplo da alternativa que o Porto do Açu oferece aos produtores de petróleo, que atualmente precisam realizar este tipo de operação em lugares como Uruguai e Caribe. Estas operações são geralmente realizadas em mar aberto, sem a instalação de barreiras de contenção e com a segurança oferecida no Porto do Açu. Estas alternativas são mais caras para o cliente e mais arriscadas para o meio ambiente.

Na operação ship to ship no Porto do Açu, o óleo será transportado de navios aliviadores para navios convencionais, reduzindo o frete de exportação do petróleo brasileiro em até 60%. A operação é realizada em área abrigada e cercada por barreiras de contenção, o que a torna mais segura e estável, possibilitando sua realização durante todo o ano. A realização do transbordo de forma segura e eficiente é indispensável para o pré-sal, em que o desafio de operar em águas profundas cria a necessidade de utilizar navios DPSTs com tecnologia mais avançada do que os navios tradicionais.
 
Além da operação de transbordo, há plano para que o TOIL do Porto do Açu também ofereça uma variedade de serviços, como armazenamento, blending, tratamento de óleo e outras atividades.
 
Oficina do Pré-sal
Com mais de 40 bilhões de barris, a principal descoberta da história mundial recente, a previsão é que a produção do pré-sal continue crescendo – apesar do atual preço da commodities.
 
Outro exemplo da vantagem logística da Prumo para a indústria de óleo e gás, é a unidade da Edison Chouest Offshore (ECO), que está construindo no empreendimento a maior base de apoio offshore do mundo, com 1.030 km de cais e 15 berços de atracação. A Petrobras assinou um contrato com a Edison Chouest para o uso de seis berços, com operação prevista para novembro deste ano. A base no Porto do Açu diminui o tempo de viagem entre a Bacia de Campos e as bases de apoio atualmente existentes, reduzindo também para menos de um terço o tempo de operação atual, o que contribui para diminuir a quantidade de embarcações que aguardam em fila para atracação. Estes fatores representam uma economia gigantesca nos principais custos da exploração e produção do petróleo, em um momento em que a Petrobras e outros produtores estão focados na redução de custos, além de diminuir a poluição visual das longas filas de navios no Rio de Janeiro que entram Baía de Guanabara.
 
A Prumo também criou uma joint venture com a BP (50% cada empresa) para a comercialização de combustível marítimo no Porto do Açu, fornecendo aos clientes do porto uma alternativa competitiva para reduzir os custos com combustível em suas operações offshore.
 
Além disso, a empresa também assinou um memorando de entendimento com o Grupo Bolognesi para desenvolver projetos de gás, como uma unidade de regaseificação e um hub para o setor. A unidade de regaseificação irá fornecer combustível para o desenvolvimento de projetos de geração de energia térmica, permitindo que o Porto do Açu comece a ofecer gás natural aos seus clientes industriais. Isto também possibilitará uma alternativa para o gás natural produzido no pré-sal, conhecido como gás associado, rentabilizando sua produção.
 
“O TOIL é apenas a ponta do iceberg. A Prumo tem diversos projetos para o futuro, como para gás e energia. O GNL importado é uma forma rápida de se gerar energia no curto prazo, e que pode ser substituída por gás natural da nossa produção nacional no futuro. O Brasil precisa desesperadamente de novas fontes de energia e os produtores de gás precisam rentabilizar o seu produto – o que é bom para os dois lados. Assim como temos diferenciais com o terminal de petróleo, o Porto do Açu também oferece vantagens para o gás natural ", disse Thomas.



Fonte: Redação/ Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar