acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Petróleo

OGX é a única entre as maiores operadoras a elevar produção em agosto

03/10/2012 | 15h36

 

A OGX, petroleira do Grupo EBX, do empresário Eike Batista, foi a única das cinco maiores operadoras de campos de extração de óleo e gás no Brasil a registrar aumento de produção entre julho e agosto. A informação consta do Boletim da Produção de Petróleo e Gás Natural da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), disponibilizado hoje no site do órgão regulador.
Em agosto, no ranking das operadoras, a OGX figurou na quinta colocação, com 10.607 barris de óleo equivalente (BOE) por dia, uma alta de 51,16% frente aos 7.017 BOE/dia em julho. Como a OGX opera apenas o campo de Tubarão Azul, na Bacia de Campos, com 100% de participação, e não tem fatias em outros campos produtores, a produção total da empresa ficou igual aos volumes correspondentes ao operador.
A empresa tem hoje dois poços produtores em Tubarão Azul e um terceiro em perfuração, que deve entrar em produção até o fim do ano.
No ranking dos operadores, a OGX ficou atrás de Petrobras - a líder, com 2,302 milhões de BOE/dia em agosto -, Statoil Brasil, Shell Brasil e BP Energy. As quatro primeiras, no entanto, viram os campos que operam reduzirem a produção entre julho e agosto. Destaque para o forte recuo de 11,15% na produção da BP, a quarta colocada, que passou de 16.041 BOE/dia em julho para 14.251 BOE/dia em agosto.
Entre as empresas concessionárias - nessa conta entram também as companhias que não operam campos no Brasil, mas que têm participação em áreas produtoras e, por isso, têm direito a parte do óleo e gás extraído - a OGX está em oitavo, com os mesmos 10.607 BOE/dia. O resultado significou um ganho de uma posição no ranking, ultrapassando a BP Energy, que teve produção como concessionária de 8.550 BOE/dia, 11,15% abaixo dos 9.624 BOE/dia de julho.
Como a BP tem sócios nos campos em que opera, a produção da companhia como operadora acaba sendo maior que o volume destinado a ela como concessionária.
Das sete companhias que estão à frente da OGX como concessionárias, apenas Manati - sexta colocada - teve aumento da produção entre julho e agosto, passando de 18.857 BOE/dia para 19.370 BOE/dia no período. Manati, na Bacia de Camamu, é um campo operado pela Petrobras, mas com participação de 45% da Queiroz Galvão Exploração e Produção (QGEP) e 20% divididos pela Panoro e Brasoil.

A OGX, petroleira do Grupo EBX, do empresário Eike Batista, foi a única das cinco maiores operadoras de campos de extração de óleo e gás no Brasil a registrar aumento de produção entre julho e agosto. A informação consta do Boletim da Produção de Petróleo e Gás Natural da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), disponibilizado nesta quarta-feira (3) no site do órgão regulador.


Em agosto, no ranking das operadoras, a OGX figurou na quinta colocação, com 10.607 barris de óleo equivalente (BOE) por dia, uma alta de 51,16% frente aos 7.017 BOE/dia em julho. Como a OGX opera apenas o campo de Tubarão Azul, na Bacia de Campos, com 100% de participação, e não tem fatias em outros campos produtores, a produção total da empresa ficou igual aos volumes correspondentes ao operador.


A empresa tem hoje dois poços produtores em Tubarão Azul e um terceiro em perfuração, que deve entrar em produção até o fim do ano.


No ranking dos operadores, a OGX ficou atrás de Petrobras - a líder, com 2,302 milhões de BOE/dia em agosto -, Statoil Brasil, Shell Brasil e BP Energy. As quatro primeiras, no entanto, viram os campos que operam reduzirem a produção entre julho e agosto. Destaque para o forte recuo de 11,15% na produção da BP, a quarta colocada, que passou de 16.041 BOE/dia em julho para 14.251 BOE/dia em agosto.


Entre as empresas concessionárias - nessa conta entram também as companhias que não operam campos no Brasil, mas que têm participação em áreas produtoras e, por isso, têm direito a parte do óleo e gás extraído - a OGX está em oitavo, com os mesmos 10.607 BOE/dia. O resultado significou um ganho de uma posição no ranking, ultrapassando a BP Energy, que teve produção como concessionária de 8.550 BOE/dia, 11,15% abaixo dos 9.624 BOE/dia de julho.


Como a BP tem sócios nos campos em que opera, a produção da companhia como operadora acaba sendo maior que o volume destinado a ela como concessionária.


Das sete companhias que estão à frente da OGX como concessionárias, apenas Manati - sexta colocada - teve aumento da produção entre julho e agosto, passando de 18.857 BOE/dia para 19.370 BOE/dia no período. Manati, na Bacia de Camamu, é um campo operado pela Petrobras, mas com participação de 45% da Queiroz Galvão Exploração e Produção (QGEP) e 20% divididos pela Panoro e Brasoil.



Fonte: Valor Online
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar