acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Economia

OGX divulga resultados do quarto trimestre de 2012

27/03/2013 | 11h49
OGX divulga resultados do quarto trimestre de 2012
OGX OGX

 

A OGX, empresa de óleo e gás do Grupo EBX, anunciou nesta quarta-feira seus resultados referentes ao quarto trimestre de 2012. O período foi marcado pela receita de vendas de 
aproximadamente 2,4 milhões de barris, evolução no desenvolvimento do Campo de Tubarão Martelo, próximo campo a iniciar a produção, além do comissionamento da produção de gás na Bacia do Parnaíba, que iniciou em janeiro de 2013.
 “2012 foi um ano de grandes conquistas e importantes desafios para a OGX. 
Após apenas quatro anos desde sua criação, a Companhia atingiu um marco 
histórico em 2012 ao iniciar a produção de petróleo no Campo de Tubarão 
Azul, na Bacia de Campos. Ao longo do ano, atingimos um total de 2,4 milhões 
de barris entregues e contabilizamos receita de R$325 milhões. No começo de 
2013, continuamos desenvolvendo o Campo de Tubarão Martelo, também na Bacia 
de Campos, onde já perfuramos e realizamos a completação inferior de seis 
poços produtores. Começamos em janeiro de 2013 a produção comercial de gás 
no Campo de Gavião Real, na Bacia do Parnaíba”, ressalta o CEO da OGX, Luiz 
Carneiro.
Carneiro também comenta que, paralelamente a esses resultados, a OGX 
enfrentou importantes desafios. Os níveis de produção dos dois primeiros 
poços produtores no Campo de Tubarão Azul estabilizaram em 5.000 barris por 
dia em 2012. Em janeiro de 2013, a empresa conectou o terceiro poço 
produtor, que ainda não teve sua vazão estabilizada. “Continuamos 
absolutamente concentrados na otimização do volume total recuperável do 
campo de acordo com as melhores práticas da indústria”, ressalta.
Esperamos investir em 2013 cerca de US$1,3 bilhão em capex. “Com um time de 
profissionais experientes e motivados, temos a possibilidade de revigorar a 
base de ativos com desinvestimentos, aquisições e importantes parcerias. A 
OGX está bem posicionada para enfrentar seus desafios enquanto continuamos 
desenvolvendo nosso negócio”, afirma o CEO.
Juntamente com o desenvolvimento dos campos, a OGX continua 
avançando na campanha exploratória, o que resultou em importantes 
descobertas de petróleo, tais como Tulum e Viedma, também na Bacia de 
Campos. A empresa declarou, recentemente, mais três campos comerciais: 
Tubarão Tigre e Tubarão Gato, na acumulação de Pipeline e Tubarão Areia, na 
acumulação de Fuji-Illimani.
Além disso, a OGX submeteu novos Planos de Avaliação de Descoberta (PAD) 
para outras acumulações nas bacias de Campos e Santos, estendendo seu 
período exploratório. Outro destaque do período foi a aquisição da 
participação no Bloco BS-4, localizado na Bacia de Santos, demonstrando que 
seguimos atentos às oportunidades de crescimento no Brasil. Nas atividades 
onshore, a companhia declarou comercialidade da acumulação de Bom Jesus 
(Campo de Gavião Branco), na Bacia do Parnaíba.
A empresa participou também da Ronda Colômbia 2012, da Agência Nacional de 
Hidrocarburos (ANH) saindo vencedora de um bloco exploratório na bacia do 
Vale Inferior do Madalena.
A produção total atingiu 3,2 milhões de barris no Campo de 
Tubarão Azul (Bacia de Campos) em 2012 (907 mil barris no 4T12, 9,6% maior 
que no trimestre anterior). A empresa vendeu 2,4 milhões de barris de 
petróleo em 2012, distribuídos em quatro diferentes cargas. Em 2013, a 
empresa já vendeu 1,2 milhão de barris de petróleo em 2013, distribuídos em 
duas cargas.
Para aumentar a produção, a empresa conectou o terceiro poço produtor no 
Campo de Tubarão Azul e perfurou seis poços produtores no Campo de Tubarão 
Martelo, também na Bacia de Campos. O primeiro poço deverá entrar em 
produção no final de 2013, após a chegada do FPSO OSX-3.
Na Bacia do Parnaíba, foi realizada a conclusão da perfuração e completação 
de todos os 16 poços produtores no Campo de Gavião Real. O primeiro gás foi 
produzido no final de novembro de 2012, com o comissionamento da Unidade de 
Tratamento de Gás. A produção média de gás, em janeiro e fevereiro de 2013, 
foram de 3,2 kboepd e 5,5 kboepd, respectivamente.
Outlook curto prazo - Com o término das concessões de exploração para as 
Bacias de Campos e Santos, a Companhia declarou três áreas comerciais 
(acumulações de Pipeline, Fuji e Illimani) e firmará os compromissos 
contidos nos PADs das acumulações de Vesúvio, Viedma, Tulum e Itacoatiara na 
Bacia de Campos, assim como nas acumulações de Curitiba, Belém e Natal na 
Bacia de Santos.
A OGX também irá perfurar dois prospectos na Bacia do Espirito Santo em 
2013, em conjunto com a Perenco, operadora dos blocos, e dez poços na Bacia 
do Parnaíba; continuará a desenvolver o campo de Tubarão Martelo, 
preparando-o para a chegada do OSX-3,  concluirá os estudos para o 
desenvolvimento dos campos de Tubarão Tigre, Tubarão Gato e Tubarão Areia; 
iniciará a perfuração do primeiro poço de desenvolvimento no Campo de 
Atlanta (Bloco BS-4) no 2S13; e continuará  a desenvolver atividades 
exploratórias e ramp-up da produção de gás na Bacia do Parnaíba.
Além disso, a OGX pretende iniciar ainda neste semestre a atualização do 
relatório de certificação da companhia.
Demonstração de resultados – A OGX encerrou o ano de 2012 tendo receita de 
vendas no valor de R$ 499 milhões. Desse total, R$174 milhões correspondem 
às cargas vendidas durante o TLD (primeiro semestre de 2012), e R$325 
milhões foram contabilizados como receita após a conclusão do TLD e a 
Declaração de Comercialidade do Campo de Tubarão Azul, com a venda de duas 
cargas de aproximadamente 1,6 milhão de barris. 
Finalizamos 2012 com  prejuízo líquido de R$1,2 bilhão, grande parte sem impacto no caixa da  companhia. A OGX manteve uma sólida posição de caixa de R$ 3,4 bilhões, em 31 
de dezembro de 2012.

A OGX, empresa de óleo e gás do Grupo EBX, anunciou hoje seus resultados referentes ao quarto trimestre de 2012. O período foi marcado pela receita de vendas de aproximadamente 2,4 milhões de barris, evolução no desenvolvimento do Campo de Tubarão Martelo, próximo campo a iniciar a produção, além do comissionamento da produção de gás na Bacia do Parnaíba, que iniciou em janeiro de 2013.


“2012 foi um ano de grandes conquistas e importantes desafios para a OGX. Após apenas quatro anos desde sua criação, a Companhia atingiu um marco histórico em 2012 ao iniciar a produção de petróleo no Campo de Tubarão Azul, na Bacia de Campos. Ao longo do ano, atingimos um total de 2,4 milhões de barris entregues e contabilizamos receita de R$325 milhões. No começo de 2013, continuamos desenvolvendo o Campo de Tubarão Martelo, também na Bacia de Campos, onde já perfuramos e realizamos a completação inferior de seis poços produtores. Começamos em janeiro de 2013 a produção comercial de gás no Campo de Gavião Real, na Bacia do Parnaíba”, ressalta o CEO da OGX, Luiz Carneiro.


Carneiro também comenta que, paralelamente a esses resultados, a OGX enfrentou importantes desafios. Os níveis de produção dos dois primeiros poços produtores no Campo de Tubarão Azul estabilizaram em 5.000 barris por dia em 2012. Em janeiro de 2013, a empresa conectou o terceiro poço produtor, que ainda não teve sua vazão estabilizada. “Continuamos absolutamente concentrados na otimização do volume total recuperável do campo de acordo com as melhores práticas da indústria”, ressalta.


O planejamento da companhia é de que o investimento em capex será de US$1,3 bilhão em capex. “Com um time de profissionais experientes e motivados, temos a possibilidade de revigorar a base de ativos com desinvestimentos, aquisições e importantes parcerias. A OGX está bem posicionada para enfrentar seus desafios enquanto continuamos desenvolvendo nosso negócio”, afirma o CEO.


No comunicado divulgado hoje, a OGX ressalta ainda os avanços na sua campanha exploratória, como as descobertas de Tulum e Viedma, na Bacia de Campos. Além disso, a empresa declarou, recentemente, mais três campos comerciais: Tubarão Tigre e Tubarão Gato, na acumulação de Pipeline e Tubarão Areia, na acumulação de Fuji-Illimani.


A OGX submeteu também novos Planos de Avaliação de Descoberta (PAD) para outras acumulações nas bacias de Campos e Santos, estendendo seu período exploratório. Outro destaque do período foi a aquisição da participação no Bloco BS-4, localizado na Bacia de Santos, demonstrando que seguimos atentos às oportunidades de crescimento no Brasil. Nas atividades onshore, a companhia declarou comercialidade da acumulação de Bom Jesus (Campo de Gavião Branco), na Bacia do Parnaíba. A empresa participou também da Ronda Colômbia 2012, da Agência Nacional de Hidrocarburos (ANH) saindo vencedora de um bloco exploratório na bacia do Vale Inferior do Madalena.


A produção total atingiu 3,2 milhões de barris no Campo de Tubarão Azul (Bacia de Campos) em 2012 (907 mil barris no 4T12, 9,6% maior que no trimestre anterior). A empresa vendeu 2,4 milhões de barris de petróleo em 2012, distribuídos em quatro diferentes cargas. Em 2013, a empresa já vendeu 1,2 milhão de barris de petróleo em 2013, distribuídos em duas cargas. Para aumentar a produção, a empresa conectou o terceiro poço produtor no Campo de Tubarão Azul e perfurou seis poços produtores no Campo de Tubarão Martelo, também na Bacia de Campos. O primeiro poço deverá entrar em produção no final de 2013, após a chegada do FPSO OSX-3.


Na Bacia do Parnaíba, foi realizada a conclusão da perfuração e completação de todos os 16 poços produtores no Campo de Gavião Real. O primeiro gás foi produzido no final de novembro de 2012, com o comissionamento da Unidade de Tratamento de Gás. A produção média de gás, em janeiro e fevereiro de 2013, foram de 3,2 kboepd e 5,5 kboepd, respectivamente.Outlook curto prazo - Com o término das concessões de exploração para as Bacias de Campos e Santos, a Companhia declarou três áreas comerciais (acumulações de Pipeline, Fuji e Illimani) e firmará os compromissos contidos nos PADs das acumulações de Vesúvio, Viedma, Tulum e Itacoatiara na Bacia de Campos, assim como nas acumulações de Curitiba, Belém e Natal na Bacia de Santos.


A OGX também irá perfurar dois prospectos na Bacia do Espirito Santo em 2013, em conjunto com a Perenco, operadora dos blocos, e dez poços na Bacia do Parnaíba; continuará a desenvolver o campo de Tubarão Martelo, preparando-o para a chegada do OSX-3,  concluirá os estudos para o desenvolvimento dos campos de Tubarão Tigre, Tubarão Gato e Tubarão Areia; iniciará a perfuração do primeiro poço de desenvolvimento no Campo de Atlanta (Bloco BS-4) no 2S13; e continuará  a desenvolver atividades exploratórias e ramp-up da produção de gás na Bacia do Parnaíba.


Além disso, a OGX pretende iniciar ainda neste semestre a atualização do relatório de certificação da companhia. A OGX encerrou o ano de 2012 tendo receita de vendas no valor de R$ 499 milhões. Desse total, R$174 milhões correspondem às cargas vendidas durante o TLD (primeiro semestre de 2012), e R$325 milhões foram contabilizados como receita após a conclusão do TLD e a Declaração de Comercialidade do Campo de Tubarão Azul, com a venda de duas cargas de aproximadamente 1,6 milhão de barris. 


A empresa fechou 2012 com prejuízo líquido de R$1,2 bilhão, grande parte sem impacto no caixa da  companhia, que terminou o ano com posição de caixa de R$ 3,4 bilhões.



Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar