acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
RenovaBio

O projeto é um incentivo aos biocombustíveis e à sustentabilidade, diz Petrobras

28/11/2017 | 14h39

Hoje (28), no plenário da Câmara dos Deputados, o projeto do RenovaBio será apreciado e é considerado pela Petrobras um compromisso com o desenvolvimento de iniciativas de sustentabilidade, preservação ambiental e com o alcance das metas firmadas no Acordo de Paris. Em nota divulgada nesta terça-feira, a empresa diz que “apoia e entende a iniciativa como um impulso relevante ao desenvolvimento da produção de biocombustíveis no Brasil”.

Para a Petrobras, as metas para elevação do uso de biocombustíveis devem ser determinadas “a partir dos compromissos de descarbonização assumidos pelo país”. No texto, a empresa reconhece que o Brasil tem uma matriz energética limpa e diz acreditar “na harmonização dos incentivos à cadeia de óleo e gás e de biocombustíveis, tendo em vista os compromissos do Acordo de Paris”.

Na avaliação da empresa, a votação do projeto do RenovaBio, “com eventuais modificações, será mais um avanço importante no marco regulatório da industria de óleo e gás no país”.

O projeto

“O projeto RenovaBio é uma política de Estado que objetiva traçar uma estratégia conjunta para reconhecer o papel estratégico de todos os tipos de biocombustíveis na matriz energética brasileira, tanto para a segurança energética quanto para mitigação de redução de emissões de gases causadores do efeito estufa”, explica o Ministério de Minas e Energia em sua página na internet.

Segundo o ministério, diferentemente de medidas tradicionais, o RenovaBio não propõe a criação de imposto sobre carbono, subsídios, crédito presumido ou mandatos volumétricos de adição de biocombustíveis a combustíveis.



Fonte: Redação/Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar