acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Petróleo

Novo leilão de exploração da ANP será adiado

01/07/2011 | 09h51
O leilão da ANP (Agência Nacional do Petróleo) será adiado novamente. A 11ª Rodada, que prevê áreas com potencial de exploração de petróleo e gás, não poderá ser no dia 12 de setembro, data desejada pela agência.
 
 
O edital ainda não foi publicado. Para isso, depende de autorização da presidente Dilma Rousseff. Existe um prazo necessário de quatro meses entre o lançamento das condições do leilão e a data de realização, para que sejam feitas audiências públicas e os preparativos.
 
 
"Isso é absolutamente inédito. Nunca se demorou tanto a publicar o edital depois do CNPE autorizar", disse, à Reuters, o diretor-geral da ANP, Haroldo Lima.
 
 
O ministro Edison Lobão (Minas e Energia) ressaltou desejar que a rodada seja feita ainda neste ano.
"O CNPE é órgão assessor. Ela [a presidente] quer examinar pessoalmente aquilo que foi decidido. A Rodada será neste ano. Se ela decidir em uma semana, por exemplo, fazemos neste ano."
 
 
A 11ª Rodada foi aprovada pelo CNPE (Conselho Nacional de Política Energética) no dia 28 de abril. Foi autorizado o leilão de 174 blocos exploratórios em nove bacias sedimentares na margem equatorial brasileira, dos quais 87 blocos em terra e 87 no mar.
 

REFINARIAS
 
 
Lobão disse também que o plano de construção de refinarias não será afetado pelo corte nos investimentos da Petrobras. Lembrou que o país importa combustíveis por falta de refinarias. A demora na aprovação do novo Plano de Negócios da Petrobras se deve à necessidade de rearranjo no que será cortado. Lobão disse que a Petrobras fez um corte de 10% -"US$ 20 e poucos bilhões"- que havia sido solicitado há três semanas. "Foi pedida uma reavaliação de onde cortar", afirmou.
 
 
Lobão declarou ainda que a alíquota dos royalties da mineração pode ser dobrada. A mudança está em estudo.


Fonte: Folha de São Paulo
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar