acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Indústria naval

Norsul cresce com aumento na demanda por frete

21/06/2005 | 00h00

A Companhia de Navegação Norsul, um dos maiores armadores privados do país, controlada pelo grupo Lorentzen, já pensa em construir novos navios-barcaça para atender a demanda por frete marítimo de empresas dos setores de siderurgia, papel e celulose, petroquímica e grãos. As futuras encomendas também servirão para renovar parte da frota da Norsul. Antes, porém, a empresa quer concluir três projetos que totalizam investimentos totais de cerca de US$ 110 milhões e incluem a construção de 16 embarcações, sendo cinco empurradores e 11 navios-barcaça, informou o diretor-presidente da Norsul, Hugo Figueiredo.
Ontem, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou o financiamento de US$ 60 milhões para a construção de 10 das 16 embarcações da Norsul. O empréstimo utiliza recursos do Fundo de Marinha de Mercante (FMM), do qual o BNDES é agente, e permitirá à Norsul se ressarcir de investimentos já feitos. O custo do financiamento não foi revelado, mas ficou dentro das novas regras do FMM, que prevê encargo de dólar ou TJLP mais 2,5% a 5% ao ano para a construção de navios no país. O juro aplicado depende do perfil do armador.
Figueiredo estimou que a Norsul já adiantou US$ 55 milhões dos US$ 60 milhões financiados pelo BNDES. O dinheiro está sendo aplicado em dois projetos. O primeiro é a construção de três navios-barcaça (cada um com capacidade de 7,3 mil toneladas) e de um empurrador para o transporte de celulose da Veracel, parceria entre a Aracruz e a sueco-finlandesa Stora Enso no Sul da Bahia. O início das operações destes navios está previsto para 1º de julho.
O segundo projeto incluído no financiamento do BNDES prevê a construção de mais quatro barcaças (cada uma com capacidade de 10 mil toneladas) e dois empurradores para transportar bobinas de aço produzidas pela Companhia Siderúrgica de Tubarão (CST), em Serra (ES), e levá-las por mar até São Francisco do Sul (SC), onde é feita a laminação e galvanização na Vega do Sul. Esse conjunto empurrador-barcaça ficará pronto no fim de 2005. Até as embarcações ficarem prontas, a Norsul está usando navios tipo graneleiro para transportar as bobinas até a Vega do Sul.
Figueiredo calculou que os investimentos totais na construção de barcaças e empurradores para esses dois projetos (Veracel e CST-Vega do Sul) totalizam cerca de US$ 80 milhões. Ele lembrou que os empurradores foram encomendados ao estaleiro Promar e as barcaças ao Eisa Estaleiro Ilha, ambos de Niterói (RJ). De acordo com Figueiredo, que detém 27% do capital da Norsul - o restante das ações está com o grupo Lorentzen e integrantes da família homônima -, a Norsul já construiu e entregou outras quatro barcaças (capacidade individual de 5 mil toneladas) e dois empurradores, num investimento total de US$ 30 milhões, para o transporte de toras de eucalipto da Aracruz.
As barcaças começaram a operar em janeiro de 2003, transportando toras entre Caravelas, no Sul da Bahia, e o Portocel. O interesse do BNDES em financiar os empurradores e barcaças da Norsul reside no fato de que trata-se de um conceito de transporte novo no Brasil, que ajuda a desafogar estradas.



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar