acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energia

Niterói será sede da primeira etapa de evento internacional de barcos movidos a energia solar

03/05/2010 | 11h19

O Clube Naval Charitas, em Niterói, será  palco do Desafio Solar Brasil 2010. A competição é realizada pelo Pólo Náutico da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e ocorrerá nos dias 7, 8, 9, 15 e 16 maio. Trata-se de um evento internacional de barcos movidos exclusivamente por energia solar. A primeira etapa será no Charitas e a segunda em Cabo Frio, no mês de agosto.

 

Esta será a segunda edição do evento no Brasil e pela primeira vez realizada na cidade de Niterói. Doze equipes compostas de alunos e professores de escolas técnicas, faculdades de engenharia naval e elétrica e escolas de vela competirão na águas da Baia de Guanabara.

 

O estímulo ao desenvolvimento de tecnologias para fontes limpas e renováveis de energia bem como divulgar para a sociedade o potencial dessas tecnologias aplicadas em embarcações de serviço, recreio e transporte de passageiros é o principal objetivo do Desafio Solar Brasil.

 

Em outubro 2009 o evento foi realizado na cidade de Paraty, sendo a primeira edição da América Latina. Até o ano passado este estilo de competição só havia sido realizado em rios, canais e lagos. O primeiro no mar foi em Paraty. O ápice deste evento é o Frisian Solar Challenge, disputado no continente europeu, mais precisamente na Holanda.

 

O início de tudo e seus objetivos

 

A idéia de criar uma edição brasileira para o evento surgiu após a participação da equipe da Universidade Federal do Rio de Janeiro na última edição da Frisian em junho de 2008. O barco, batizado de Copacabana – projetado e construído no Pólo Náutico, por alunos e profissionais da Engenharia Naval, Engenharia Elétrica, Engenharia Eletrônica e Desenho Industrial – demonstrou ser um forte concorrente terminando a competição na quarta colocação da classe A (a mais competitiva, com 26 barcos selecionados) e em sétimo lugar na classificação geral, entre 49 participantes.

 

O Pólo Náutico da UFRJ é responsável pela realização do evento. O objetivo é incentivar pesquisas e projetos que contribuam para o desenvolvimento da indústria marítima brasileira.



Fonte: Redação/ Agências
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar