acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
publicidade
Logística

Niterói: Indústria naval em ascensão

13/03/2006 | 00h00
 A indústria naval niteroiense comemora no dia 23 três importantes conquistas para o setor: a reinauguração do Porto de Niterói com o início das atividades de sua base logística; o início oficial das obras do canteiro da concessionária Nitport, em parceria com a empresa norueguesa Vetco; e o final das obras de dragagem do terminal portuário. A reinauguração, que acontecerá às 10h, marcará a consolidação de Niterói como referência no segmento de apoio logístico e off-shore.

As obras de revitalização, orçadas em R$ 20 milhões, não param com a reinauguração. Até o momento R$ 14 milhões já foram investidos, sendo uma metade para a realização de obras e outra para a dragagem. A expectativa do secretário municipal de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia, Rodrigo Neves, é que após a oficialização do funcionamento, o novo porto gere mil empregos diretos, fazendo com que o município arrecade até R$ 10 milhões por ano.

Após 11 meses de reparos, o Porto de Niterói está de cara nova. Edificações deterioradas deram lugar a estruturas totalmente reformuladas com equipamentos de alta tecnologia. Das salas instaladas no local será possível dar apoio logístico às embarcações que estão fora da Baía. Cada detalhe foi pensado para favorecer a qualidade dos serviços. Até os portões principais foram ampliados para garantir e facilitar a entrada e saída de caminhões do terminal hidroviário.

O projeto de revitalização do Porto contou com a instalação de sistemas de eletricidade e combate a incêndio, além da canalização do esgoto e encaminhamento para a Estação de Tratamento de Esgoto de Toc-Toc, no Centro.

"O Porto de Niterói unido às áreas portuárias das empresas Brasco e McLaren faz da cidade a maior área de infra-estrutura logística do Brasil. Além de sermos uma referência no segmento off-shore e também contarmos com um forte apoio universitário", comentou o secretário de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia, Rodrigo Neves.

O evento, que será realizado no dia 23, também marca o início das obras no canteiro da Vetco e Nitport, onde serão construídos quatro módulos para a plataforma P-52. No local, está sendo realizado um reforço no piso para suportar o peso dos equipamentos. A cerimônia contará com a presença do diretor de exploração e produção da Petrobras, Guilherme Estrella.

Mundo - As concessionárias Nitport e Nitshore ressaltam que com a conclusão das obras o Porto de Niterói será o ponto de partida e chegada de cargas do mundo inteiro, assim como o destino final dos produtos produzidos neste município. Atualmente, apesar de ainda não estar inaugurado oficialmente, o Porto já está recebendo embarcações de apoio.

"Com o Porto de Niterói em funcionamento, basta que as cargas sejam transportadas, já desembarcadas, até as plataformas em Macaé, sem escalas. E os proprietários das cargas poderão economizar o valor desses fretes", afirmou Jorge Temperini, diretor da Nitshore.

Dragagem - Após 25 anos sem sofrer qualquer dragagem de manutenção, o Porto de Niterói, enfim, comemorará, também no dia 23, o término da ampliação do calado. Segundo a Companhia Docas do Rio de Janeiro, que promoveu as obras, a retirada dos dejetos permitiu que a área do cais voltasse à sua profundidade natural de oito metros. A obra custou R$ 7 milhões.

Para garantir o acesso de grandes embarcações estão sendo dragados o canal de acesso, a bacia de evolução e o cais, o que possibilitará a atracação de navios de até sete metros de calado e com 220 metros de comprimento.

Expansão da área portuária

O Porto de Niterói só será reinaugurado no dia 23, mas as concessionárias arrendatárias – Nitshore e Nitport –, a Companhia Docas e a Prefeitura, já estão analisando formas de ampliar sua área. De acordo com Rodrigo Neves, a escassez de locais para armazenamento e mesmo de operações logísticas já está sendo percebida pelas empresas que funcionam na estrutura portuária.

"Nossa prioridade atual é a expansão da área do Porto de Niterói, tanto para a esquerda quanto para a direita. Nos próximos meses, estaremos trabalhando para definir a melhor forma de realizar essa ampliação", comentou Neves.

Novos planos

O prédio da antiga Estação Ferroviária Presidente Dutra, no porto, já está em fase de recuperação e deverá sediar um centro cultural, além de abrigar salas da base de apoio às atividades logísticas.

Seca – O Instituto Nacional de Pesquisas Hidroviárias (INPH) está realizando, a pedido da Secretaria Municipal de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia, um estudo sobre o canal da Alameda São Boaventura para definir as estratégias de ação para evitar o assoreamento.

"De posse dessa análise, poderemos discutir soluções definitivas para enfrentar o assoreamento que está acontecendo no canal, já que a previsão para que a área seque é de dois anos e meio. Foram muitos investimentos e temos que evitar esse problema", disse Neves.


Fonte: O Fluminense
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar