acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energias renováveis

Na Câmara dos Deputados, Comissão debaterá ampliação de investimentos

13/07/2016 | 12h38

A Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados realiza nesta quarta-feira (13) audiência pública sobre possíveis estratégias para ampliar investimentos na geração de eletricidade por meio de energias renováveis no País.

O debate foi solicitado pelo deputado Sergio Vidigal, que aponta a grave situação matriz energética do País, causada pela crise hídrica, que compromete a geração de energia.

Vidigal também aponta que a ausência de gestão, o aumento do consumo energético e a necessidade de crescimento do País requerem maiores investimentos e maior desenvolvimento dessa matriz energética, com a produção de energia eólica, solar e da biomassa.

Potencial subaproveitado

Na avaliação do parlamentar, as fontes alternativas de energia – como a energia eólica, a de biomassa e as pequenas centrais hidrelétrica (PCHs), por exemplo, são subaproveitadas. Vidigal salienta que o Brasil possui uma série de características naturais favoráveis, pois é um dos países mais ricos no mundo em incidência de raios e ventos e o maior produtor de biomassa. “Temos ainda baixa variação média do sol ao longo do ano e terras disponíveis.

"O País pode incentivar o aumento da participação das fontes eólica, biomassa, PCHs e solar fotovoltaica. Essas fontes, se bem planejadas, provocam impactos ambientais muito menores em relação às grandes hidrelétricas, sem significar aumento de custos”, argumenta.

O deputado cobra a implementação de políticas públicas, baseadas em práticas já desenvolvidas em outros países como a Alemanha, a Espanha e o Japão. Para Vidigal, se houver políticas públicas para o setor, o governo tem como atender a uma significativa parte das demandas de eletricidade do País, a partir de fontes limpas e de baixo impacto ambiental.

Convidados

Foram convidados para o debate:

- o superintendente de Regulação dos Serviços de Geração da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Christiano Vieira da Silva;

- o gerente de Assuntos Regulatórios da Renova Energia, Rodrigo Soares, representante daAssociação Brasileira dos Produtores Independentes de Energia Elétrica (Apine);

- o secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético do Ministério de Minas e Energia, Eduardo Azevedo Rodrigues;

- o presidente do Instituto de Energia e Meio Ambiente (Iema), André Ferreira, representante do Observatório do Clima;

- a presidente-executiva da Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica), Elbia Silva Gannoum;

- o presidente da Associação RevoluSolar, Pol Dhuyvetter; e

- o diretor da Área de Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica da AssociaçãoBrasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), Newton José Leme Duarte.



Fonte: Câmara Notícias/Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar