acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Retomada

Na avaliação do FMI o Brasil está perto de sair da recessão

16/11/2016 | 13h28
Na avaliação do FMI o Brasil está perto de sair da recessão
Divulgação/Christine Lagarde do FMI Divulgação/Christine Lagarde do FMI

O Fundo Monetário Internacional (FMI) afirma que o Brasil está próximo de sair da recessão. A expectativa do organismo internacional é de que uma recuperação gradual tenha início a partir do segundo semestre de 2016. A instituição pondera, no entanto, que esse cenário depende da continuidade das reformas que o governo tem implementado e da diminuição de incertezas. 

As avaliações do FMI foram divulgadas na terça-feira (15), em um relatório anual que a instituição faz sobre o País. O documento lembra que o Brasil, que é a maior economia da América Latina, sofre sua maior recessão em décadas. 

O organismo internacional avaliou que caso o Brasil consiga “um progresso mais rápido do que o esperado na agenda de reformas, pode ser desencadeada uma recuperação mais vigorosa do investimento, impulsionando o interesse estrangeiro no Brasil, mesmo com as taxas de juros globais permanecendo baixas.” 

“O relatório do FMI congratula-se com o foco do novo governo para controlar o crescimento da despesa fiscal, impondo um limite de gastos em termos reais e reformar o sistema de segurança social”, diz um texto que apresenta o documento no site do FMI. 

Controle de gastos nos Estados e Municípios 

Ainda segundo o texto, a aprovação e a implementação bem-sucedida do limite de gastos seria uma mudança de jogo para o Brasil. A instituição observa, no entanto, que uma “prioridade emergente” é o controle das despesas a nível regional, nos Estados e Municípios. 

A expectativa da instituição é de que o Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas do País) do Brasil cresça 0,5% em 2017. A previsão está abaixo das expectativas do mercado financeiro brasileiro e do Banco Central, que têm projetado números ao redor de 1,2%.



Fonte: Redação/Portal Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar