acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Meio ambiente

Museu do Amanhã realiza palestra para debater os desafios do saneamento na Baía de Guanabara

22/11/2017 | 13h51
Museu do Amanhã realiza palestra para debater os desafios do saneamento na Baía de Guanabara
TN Petróleo TN Petróleo

Para discutir os desafios do saneamento no Rio de Janeiro e da superação das desigualdades, o Museu do Amanhã promove na próxima quinta (23/11), a partir das 9h40, a palestra "A Baía do Amanhã - Sociedade". Na ocasião, será apresentado com exclusividade o documento Benefícios Econômicos da Expansão do Saneamento no Rio de Janeiro. O objetivo do material é apontar os impactos econômicos e sociais quando as redes de abastecimento de água e esgotamento sanitário alcançam 100% da população. O evento é gratuito, e as inscrições podem ser feitas no site.

O estudo mostra crescimento significativo em trabalhos no turismo; a redução dos casos de doenças e dos custos com internações; o aumento salarial dos trabalhadores; e a valorização imobiliária. O documento compara os avanços econômicos e sociais no Rio de Janeiro de 2005 a 2015 e faz projeções para os próximos 20 anos. Além do presidente do Instituto Trata Brasil, Edison Carlos; também participarão a engenheira Eloísa Torres, representante da Casa Fluminense; o consultor ambiental Márcio Santa Rosa e a pesquisadora titular em Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e do Departamento de Saneamento e Saúde Ambiental, Adriana Sotero Martins.

A saúde da Baía de Guanabara está diretamente relacionada ao modo de vida da população de seu entorno – são aproximadamente 8,5 milhões de moradores de 16 cidades entrecortadas por morros e mais de cem rios, riachos e canais. Como numa rede complexa, o espelho d'água da baía reflete o que acontece a mais de 60km de distância, embora muitos fluminenses não tenham essa dimensão.

"Quantos leitos de hospital teríamos a menos se as águas da baía fossem menos poluídas? E quantas atividades turísticas a mais poderiam usar o espelho d'água? São questões que não podem mais tardar", questiona Leonardo Menezes, gerente de Exposições e de Observatório do Amanhã, ressaltando que situações como essa implicariam menos gastos na saúde pública.

A palestra "A Baía do Amanhã – Sociedade" é o terceiro encontro realizado este ano no Museu do Amanhã para discutir os desafios do saneamento da Guanabara. Em julho, foi apresentado, o resultado de ações da Cooperação Técnica para o Fortalecimento da Governança e da Gestão da Baía de Guanabara: o Plano de Recuperação da Baía, conduzido pela consultoria KCI Technologies; o Boletim de Saúde Ambiental da Baía, elaborado pela Universidade de Maryland; e a Proposta de Modelo de Governança para a Baía, desenvolvida pela Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável (FBDS). Além disso, em abril de 2016, o Museu recebeu uma consulta pública para discutir os rumos da Baía.

Serviço:

Palestra "A Baía do Amanhã – Sociedade"

Data: 23/11 (quinta-feira)

Horário: das 9h40 às 12h45

Local: Museu do Amanhã (Praça Mauá, nº 1, Centro – Rio de Janeiro)



Fonte: Redação/Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar