acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Política

Mursi chama empresários brasileiros para investir no Egito

08/05/2013 | 16h36

 

O presidente do Egito, Mouhamed Mursi, reiterou nesta quarta-feira (8) que pretende aproveitar a experiência brasileira no combate à pobreza e erradicação da fome, assim como na consolidação da democracia. Segundo ele, é importante também incrementar o comércio bilateral, por isso apelou para que o governo e os empresários brasileiros passem a investir mais no Egito.
“Há áreas que nos interessa mais, como a erradicação da pobreza, desenvolvimento social e na democratização, queremos aproveitar essa experiência brasileira”, ressaltou o presidente. “Fiquei feliz de observar a vontade de o Brasil querer ajudar. O Brasil já fez e está fazendo isso que é nos respeitar”.
Mursi ratificou que o processo político no Egito é de democratização e chamou o movimento que derrubou o então presidente Hosni Mubarak, em fevereiro de 2011, de “revolução”. “A revolução trouxe consigo muitas esperanças e de abertura e reações com vários países, principalmente com os países amigos. Buscamos construir uma verdadeira cooperação”, disse ele.
É a primeira visita de um presidente do Egito ao Brasil. Mursi e a presidente Dilma Rousseff acertaram parcerias nas áreas de saúde, educação, meio ambiente, agricultura e de cooperação técnica. Mas a ideia é incentivar os investimentos empresariais no Egito. Segundo integrantes do governo, há interesse dos empresários em investir em obras de infraestrutura de energia e transportes.
De 2002 a 2012, o volume de comércio entre Brasil e Egito cresceu sete vezes, evoluindo de US$ 410 milhões para US$ 2,96 bilhões. Nos últimos dois anos, o fluxo comercial bilateral cresceu 38% (2011-2012).

O presidente do Egito, Mouhamed Mursi, reiterou nesta quarta-feira (8) que pretende aproveitar a experiência brasileira no combate à pobreza e erradicação da fome, assim como na consolidação da democracia. Segundo ele, é importante também incrementar o comércio bilateral, por isso apelou para que o governo e os empresários brasileiros passem a investir mais no Egito.


“Há áreas que nos interessa mais, como a erradicação da pobreza, desenvolvimento social e na democratização, queremos aproveitar essa experiência brasileira”, ressaltou o presidente. “Fiquei feliz de observar a vontade de o Brasil querer ajudar. O Brasil já fez e está fazendo isso que é nos respeitar”.


Mursi ratificou que o processo político no Egito é de democratização e chamou o movimento que derrubou o então presidente Hosni Mubarak, em fevereiro de 2011, de “revolução”. “A revolução trouxe consigo muitas esperanças e de abertura e reações com vários países, principalmente com os países amigos. Buscamos construir uma verdadeira cooperação”, disse ele.


É a primeira visita de um presidente do Egito ao Brasil. Mursi e a presidente Dilma Rousseff acertaram parcerias nas áreas de saúde, educação, meio ambiente, agricultura e de cooperação técnica. Mas a ideia é incentivar os investimentos empresariais no Egito. Segundo integrantes do governo, há interesse dos empresários em investir em obras de infraestrutura de energia e transportes.


De 2002 a 2012, o volume de comércio entre Brasil e Egito cresceu sete vezes, evoluindo de US$ 410 milhões para US$ 2,96 bilhões. Nos últimos dois anos, o fluxo comercial bilateral cresceu 38% (2011-2012).

 



Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar