acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
OTC 2013

Mulheres na indústria é tema de palestra ministrada por Graça Foster

08/05/2013 | 16h13
Mulheres na indústria é tema de palestra ministrada por Graça Foster
Agencia Petrobras Agencia Petrobras

 

Na tarde de ontem (7), durante a Offshore Technology Conference (OTC), a presidente da Petrobras, Graça Foster, palestrou sobre a experiência das mulheres na indústria de óleo e gás. A executiva comentou que apesar das mulheres estarem cada vez mais ocupando altos cargos de trabalho, ainda há muito preconceito. "É preciso brigar contra o preconceito, inclusive na escolha das carreiras. Hoje, as carreiras técnicas ainda têm maioria de homens", afirmou.
A executiva salientou que não é a favor do sistemas de cotas para mulheres nas empresas. Ela acredita que o melhor caminho para eliminar a discriminação e proporcionar oportunidades iguais para todos é eliminar o preconceito e não por meio de sistemas de cotas. "Nós somos diferentes, mas podemos fazer o mesmo trabalho se assim decidirmos", disse.
De acordo com a presidente, a presença das mulheres nas empresas torna o debate mais rico e melhora o processo de tomada de decisão. "Quando o preconceito é permitido nas companhias, pode haver erros nas decisões administrativas e isso leva à perda de competitividade. A diversidade não é um problema, pelo contrário, é uma vantagem competitiva das corporações", reforçou.
Foster indicou que a Petrobras ainda é uma empresa predominante masculina, com 84,4% da força de trabalho sendo homens e 15,6% mulheres. Entretanto, quando comparada as demais empresas do setor não está tão mal. No segmento, os homens ainda são a maioria: 92,2%, contra 7,8% de mulheres.
Há 33 anos na Petrobras, Foster passou por todos os cargos de gerente antes de ser presidente. Em 2012, ela foi eleita uma das mulheres mais poderosas do mundo dos negócios pela revista americana Fortune; a 20ª mais poderosa do mundo e a terceira mais influente na categoria negócios pela revista 'Forbes'; e está entre as 100 pessoas mais influentes do mundo no ranking da revista 'Time'.
Na ocasião, a executiva falou de sua trajetória profissional e ressaltou a importância do conhecimento e da informação para o crescimento profissional. Segundo Foster, as mulheres podem chegar ao topo. Para isso, o crescimento deve ser passo a passo, aliado ao ganho de experiências e à maturidade pessoal e profissional.

Na tarde de ontem (7), durante a Offshore Technology Conference (OTC), a presidente da Petrobras, Graça Foster, palestrou sobre a experiência das mulheres na indústria de óleo e gás. A executiva comentou que apesar das mulheres estarem cada vez mais ocupando altos cargos de trabalho, ainda há muito preconceito. "É preciso brigar contra o preconceito, inclusive na escolha das carreiras. Hoje, as carreiras técnicas ainda têm maioria de homens", afirmou.


A executiva salientou que não é a favor do sistemas de cotas para mulheres nas empresas. Ela acredita que o melhor caminho para eliminar a discriminação e proporcionar oportunidades iguais para todos é eliminar o preconceito e não por meio de sistemas de cotas. "Nós somos diferentes, mas podemos fazer o mesmo trabalho se assim decidirmos", disse.


De acordo com a presidente, a presença das mulheres nas empresas torna o debate mais rico e melhora o processo de tomada de decisão. "Quando o preconceito é permitido nas companhias, pode haver erros nas decisões administrativas e isso leva à perda de competitividade. A diversidade não é um problema, pelo contrário, é uma vantagem competitiva das corporações", reforçou.


Foster indicou que a Petrobras ainda é uma empresa predominante masculina, com 84,4% da força de trabalho sendo homens e 15,6% mulheres. Entretanto, quando comparada as demais empresas do setor não está tão mal. No segmento, os homens ainda são a maioria: 92,2%, contra 7,8% de mulheres.


Há 33 anos na Petrobras, Foster passou por todos os cargos de gerente antes de ser presidente. Em 2012, ela foi eleita uma das mulheres mais poderosas do mundo dos negócios pela revista americana Fortune; a 20ª mais poderosa do mundo e a terceira mais influente na categoria negócios pela revista 'Forbes'; e está entre as 100 pessoas mais influentes do mundo no ranking da revista 'Time'.


Na ocasião, a executiva falou de sua trajetória profissional e ressaltou a importância do conhecimento e da informação para o crescimento profissional. Segundo Foster, as mulheres podem chegar ao topo. Para isso, o crescimento deve ser passo a passo, aliado ao ganho de experiências e à maturidade pessoal e profissional.



Fonte: Revista TN Petróleo, Redação
Autor: Maria Fernanda Romero
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar