acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

MMX prevê investir R$ 6,4 bi até 2014

09/11/2011 | 12h14
A MMX Mineração e Metálicos, controlada pela EBX, vai investir R$ 6,4 bilhões até 2014 num plano ambicioso de negócios para triplicar a produção de minério de ferro nos próximos três anos e garantir à empresa a construção de porto próprio para escoar a commodity. Desse total, R$ 4 bilhões serão aplicados na expansão da mina de Serra Azul, de 8 milhões de toneladas para 24 milhões de toneladas de minério até 2014. Os restantes R$ 2,4 bilhões serão destinados para a criação do superporto Sudeste, com capacidade inicial de embarque de 50 milhões de toneladas de minério de ferro, com plano de dobrar em futuro para 100 milhões.

Guilherme Escalhão, o novo presidente da companhia, que acabou de assumir o cargo na vaga de Roger Downey, está animado com a missão que lhe foi confiada. Ele avalia que, após a execução desses projetos, a mineradora vai dar um salto de qualidade no mercado global. Com apenas R$ 1,1 bilhão em caixa, a principal tarefa de Escalhão no momento é buscar recursos para tirar do papel este plano de negócios da MMX. Ele está otimista com as chances de captar recursos aqui e no exterior, pois a empresa conta com dois sócios de primeira linha, o grupo chinês Wisco (16%) e o conglomerado coreano SK (14%), com os quais tem contrato de 20 anos de fornecimento de minério.

A MMX contratou o Itaú BBA e o West LB como assessores financeiros para ir a mercado. Segundo informou Escalhão, o investimento total no porto Sudeste - da LLX, também controlada da EBX - é de R$ 2,4 bilhões e já tem garantidos R$ 1,7 bilhão pelo BNDES. "Temos R$ 1,2 bilhão já contratados no banco e mais R$ 550 milhões em análise, o que nos assegura R$ 1,75 bilhão para o porto".

O que está em pauta agora é a operação de captação para a expansão de Serra Azul, que vai exigir investimentos de R$ 4 bilhões. Desse total, R$ 3 bilhões serão captados via BNDES e outras fontes externas, como agências de fomento e bancos de desenvolvimento da Coreia e da China. A MMX já fez também uma apresentação do projeto no BNDES e agora vai enviar uma carta consulta.

A expectativa do presidente é obter os recursos até março, quando acredita que o projeto de Serra Azul terá a licença de instalação. A licença prévia já foi concedida. "Se houver algum atraso na captação desse pacote, trabalharemos com empréstimos pontes dos nossos assessores financeiros", afirmou.

O cronograma de investimentos prevê que o sistema Sudeste esteja produzindo 24 milhões de toneladas em 2014. Até lá estão previstas a instalação de uma nova unidade de beneficiamento, novo pátio de estocagem e instaladas novas correias transportadoras, levando o minério da Serra Azul até a ferrovia da MRS. A MRS vai descarregar o minério no superporto Sudeste.

A empresa começa a trabalhar no plano de expansão da capacidade de embarque de 50 milhões de toneladas do porto para 100 milhões de toneladas. Escalhão disse que a capacidade de 50 milhões de toneladas de embarque está praticamente preenchida.

Em 2014 a MMX terá embarques de 24 milhões de toneladas; mais 12 milhões de toneladas da mineradora da Usiminas, conforme acordo entre as partes; mais 1 milhão de toneladas de Pau de Vinho (mina arrendada pela Usiminas à MMX); e mais 10 milhões de toneladas de Mineroinvest, mineradora com quem a MMX está negociando. Somando 47 milhões de toneladas.

"Já protocolamos um EIA-Rima para expansão de 100 milhões de toneladas de embarque no porto Sudeste. Estamos tomando as providências, pois acreditamos que não vai nos faltar parcerias no negócio".

Além de Serra Azul, a MMX está tocando o projeto "greenfields" de Bom Sucesso, no Sul de Minas, a 35 quilômetros da MRS. Os recursos certificados da jazida somam até agora 375 milhões de toneladas de minério de ferro com potencial de até 741 milhões. A mina pode ser viável a partir de 2016, quando forem confirmadas reservas que lhe garantem produção de 10 milhões de toneladas anuais. "Bom Sucesso confirma que estamos no caminho certo quando projetamos a expansão do porto Sudeste", disse.

Ainda dentro do seu plano, a MMX inicia negociações com a MRS para garantir o embarque das 24 milhões de toneladas de minério de Serra Azul a partir de 2014. Para Escalhão, o cenário de minério de ferro continuará com demanda firme no médio e longo prazo. "A crise é de curto prazo".


Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar