acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

MMX é autuada em R$ 3,75 bilhões pela Receita Federal

08/01/2013 | 11h02

 

A mineradora MMX, do grupo EBX, do empresário Eike Batista, foi autuada pela Receita Federal em R$ 3,758 bilhões. As autuações são referentes a Imposto de Renda e Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL).
Em fato relevante enviado há pouco à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a empresa afirmou que considera “totalmente improcedentes as autuações recebidas” e entende que no fim do processo elas serão rejeitadas.
A MMX apresentará impugnação administrativa, implicando suspensão da exigibilidade do crédito, bem como utilizará os meios legais disponíveis em defesa de seus direitos, conforme o comunicado.
Segundo as autuações, eventos teriam gerado supostos ganhos de capital, que não são reconhecidos pela empresa. Entre os eventos está a alienação de ações da Centennial Asset Participações Amapá, realizada em bolsa de valores pelo fundo estrangeiro Centennial Asset Mining Fund, que em nada beneficiou a empresa, conforme o comunicado.
Outros eventos apontado pela receita foram os aumentos do capital social da MMX Minas-Rio Mineração e da LLX Minas-Rio Logística, subscritos e integralizados, com ágio, pela Anglo American Participações em Mineração, que geraram para a MMX apenas resultados não tributáveis de equivalência patrimonial.
As autuações têm classificação de risco que não impõe provisionamento contábil nem outras consequências financeiras imediatas.

A mineradora MMX, do grupo EBX, do empresário Eike Batista, foi autuada pela Receita Federal em R$ 3,758 bilhões. As autuações são referentes a Imposto de Renda e Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL).


Em fato relevante enviado há pouco à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a empresa afirmou que considera “totalmente improcedentes as autuações recebidas” e entende que no fim do processo elas serão rejeitadas.


A MMX apresentará impugnação administrativa, implicando suspensão da exigibilidade do crédito, bem como utilizará os meios legais disponíveis em defesa de seus direitos, conforme o comunicado.


Segundo as autuações, eventos teriam gerado supostos ganhos de capital, que não são reconhecidos pela empresa. Entre os eventos está a alienação de ações da Centennial Asset Participações Amapá, realizada em bolsa de valores pelo fundo estrangeiro Centennial Asset Mining Fund, que em nada beneficiou a empresa, conforme o comunicado.


Outros eventos apontado pela receita foram os aumentos do capital social da MMX Minas-Rio Mineração e da LLX Minas-Rio Logística, subscritos e integralizados, com ágio, pela Anglo American Participações em Mineração, que geraram para a MMX apenas resultados não tributáveis de equivalência patrimonial.


As autuações têm classificação de risco que não impõe provisionamento contábil nem outras consequências financeiras imediatas.

 



Fonte: Valor Online
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar