acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
América do Sul

Ministério equatoriano e Petroecuador firman acordo com IFP

06/10/2005 | 00h00

O Ministério de Energia e Minas do Equador e a petroleira estatal Petroecuador assinaram um acordo de cooperação técnica com o Instituto Francês do Petróleo (IFP) para projetos de exploração offshore, refomp e biocombustíveis, informou a Petroequador.

O ministro equatoriano de Energia e Minas, Iván Rodríguez, viajou a Paris com o presidente executivo de Petroequador, Luis Román Lazo, para assinar o acordo de 5 de outubro, se lê no comunicado.

O convênio inclui capacitação apra o pessoal da Petroequador na França, assim como cooperação técnica, financeira, legal e científica nas áreas petroquímica, regulamentação ambiental e operações de gás natural.

Revisões contratuais - Rodríguez e Román também buscarão apoio técnico do IFP para revisar contratos petroleiros de copanhias estrangeiras que operam no Equador, disse à BNamericas uma fonte do ministério.

O IFP atuará como assessor técnico do Governo do Equador a fim de determinar a melhor maneira de renegociar os contratos, indicou a fonte.

O governo equatoriano teve a intenção de revisar todos os contratos desde alguns meses quando fez o anúncio o ex-ministro de Minas e Energia, Fausto Cordovez.

A idéia por trás da revisão é estabelecer melhores condições para o estado, que poderiam traduzir-se, por exemplo, em que as petroleiras estrangeiras invistam mais dinheiro em projetos de infra-estrutura local, tais como estradas, educação e saúde, entre outros.

Nas províncias amazônicas de Sucumbíos e Orellana - com abundante presença de hidrocarbonetos - os protestos foram incessantes durante este ano, dado que seus habitantes querem que as petroleiras invistam mais na região.

Os manifestantes consideram que isto deveria ser uma medida de compensação em vista da quantidade de utiliades que lograrão em 2005 as empresas estrangeiras produto da desenfreada alta dos preços do petróleo.



Fonte: BNamericas
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar