acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Negócios

Mineradora de Eike negocia com siderúrgica indiana

04/08/2010 | 09h30
Eike Batista, dono do grupo EBX, negocia a venda de minas para a siderúrgica indiana ArcelorMittal. Ele busca resolver o impasse relativo ao fornecimento de minério de ferro para a siderúrgica chinesa Wuhan, que detém participação no capital da MMX, braço de mineração do grupo de Eike.
 
 
Maior produtora de aço do mundo, a ArcelorMittal detém ativos de minério na mesma região em que a MMX produz em Minas Gerais. O negócio envolveria as minas do complexo de Serra Azul.

A empresa de Batista detém ainda o sistema Corumbá, em Mato Grosso do Sul, além de ativos no Chile.
Em entrevista à agência Dow Jones, o diretor-presidente da ArcelorMittal Serra Azul, Sebastião Costa Filho, confirmou as conversas com a empresa de Eike. A MMX informou que não comentará "rumores do mercado".


A maior parte das minas da MMX em Minas Gerais está arrendada até 2021. Batista fechou contrato para fornecer minério para a Wuhan até 2030 e procura uma saída para cumprir isso.

"Ele poderia fazer uma fusão com outras minas ou vender algumas e ir atrás de outros ativos, até mesmo no exterior", afirma um analista ouvido pela Folha.

No ano passado, a Wuhan adquiriu 21,5% da MMX. Eike Batista é o controlador da companhia, com cerca de 40% das ações.

Existem conversas ainda entre a LLX, braço de logística de Batista, e a Usiminas. A siderúrgica brasileira procura uma saída para escoar sua produção e, além de uma parte do porto do Sudeste, de propriedade da LLX, aguarda espaço no porto de Itaguaí, da Companhia Docas.


Fonte: Folha de S.Paulo
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar