acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Oportunidade

Mercado livre de energia abre oportunidades de trabalho

21/11/2012 | 12h13

 

Mercado livre de energia abre oportunidades de trabalho a especialistas com conhecimento em finanças e no setor energético 
A rápida evolução do mercado livre de energia elétrica no Brasil também causa impacto nas empresas do segmento que abrem vagas para Especialistas em Gestão de Risco. “Para atuar na área, o profissional precisa ser multidisciplinar, pois é necessário conhecer bem o mercado financeiro e o setor elétrico brasileiro. Geralmente, os formados em ciências exatas têm vantagens, devido ao domínio de conceitos matemáticos e estatísticos”, afirma Regina Pimentel, Assessora de Gestão de Risco da Trade Energy, comercializadora independente de energia. 
Outros requisitos fundamentais para atender as necessidades do setor são a compreensão da natureza das variáveis para cada atividade, que englobam a gestão de riscos de crédito, operacionais, financeiros e de mercado. Este último refere-se a quantidades e preços da commodity negociada.  Além disso, no cenário de energia, o especialista deve entender os conceitos básicos sobre o parque de geração, transmissão e distribuição, formação de tarifas e preços, natureza da oferta e demanda, fontes de geração, e conhecer o processo de gestão do mercado realizado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). 
Em função da globalização nos negócios, como na maioria das áreas de trabalho, inglês, informática e a atualização constante também são indispensáveis. “O especialista deve levar em conta que precisa evoluir junto com o mercado”, declara a executiva. 
O dia a dia das atividades exercidas pelo Especialista em Gestão de Risco explica os motivos para estas exigências. De acordo com Pimentel, são realizadas avaliações de rotina da posição financeira da carteira, levando em conta a movimentação do mercado e a percepção do profissional quanto à evolução deste cenário. “Estas funções contribuirão para que a empresa estabeleça a sua estratégia de compra e venda, aliando aspectos como quantidades, preços e períodos. A avaliação é feita em termos de expectativas de ganhos médios e de perdas máximas”, relata. 
Como o mercado livre de energia no Brasil e esta vertente profissional são considerados relativamente novos no país, a maioria dos executivos que já atua é oriunda da área de planejamento energético ou financeiro. Assim, cada um deles precisou adquirir conhecimentos complementares da outra área. “A aquisição do aprendizado adicional pode ser feita por meio de cursos específicos. É interessante que empresas e profissionais continuem investindo neste segmento que, com certeza, é muito promissor”, finaliza Pimentel. 

A rápida evolução do mercado livre de energia elétrica no Brasil também causa impacto nas empresas do segmento que abrem vagas para Especialistas em Gestão de Risco. “Para atuar na área, o profissional precisa ser multidisciplinar, pois é necessário conhecer bem o mercado financeiro e o setor elétrico brasileiro. Geralmente, os formados em ciências exatas têm vantagens, devido ao domínio de conceitos matemáticos e estatísticos”, afirma Regina Pimentel, Assessora de Gestão de Risco da Trade Energy, comercializadora independente de energia. 


Outros requisitos fundamentais para atender as necessidades do setor são a compreensão da natureza das variáveis para cada atividade, que englobam a gestão de riscos de crédito, operacionais, financeiros e de mercado. Este último refere-se a quantidades e preços da commodity negociada.  Além disso, no cenário de energia, o especialista deve entender os conceitos básicos sobre o parque de geração, transmissão e distribuição, formação de tarifas e preços, natureza da oferta e demanda, fontes de geração, e conhecer o processo de gestão do mercado realizado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). 



Em função da globalização nos negócios, como na maioria das áreas de trabalho, inglês, informática e a atualização constante também são indispensáveis. “O especialista deve levar em conta que precisa evoluir junto com o mercado”, declara a executiva. 



O dia a dia das atividades exercidas pelo Especialista em Gestão de Risco explica os motivos para estas exigências. De acordo com Pimentel, são realizadas avaliações de rotina da posição financeira da carteira, levando em conta a movimentação do mercado e a percepção do profissional quanto à evolução deste cenário. “Estas funções contribuirão para que a empresa estabeleça a sua estratégia de compra e venda, aliando aspectos como quantidades, preços e períodos. A avaliação é feita em termos de expectativas de ganhos médios e de perdas máximas”, relata. 



Como o mercado livre de energia no Brasil e esta vertente profissional são considerados relativamente novos no país, a maioria dos executivos que já atua é oriunda da área de planejamento energético ou financeiro. Assim, cada um deles precisou adquirir conhecimentos complementares da outra área. “A aquisição do aprendizado adicional pode ser feita por meio de cursos específicos. É interessante que empresas e profissionais continuem investindo neste segmento que, com certeza, é muito promissor”, finaliza Pimentel. 



Fonte: Redação TN
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar