acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Pesquisa

Mercado de óleo e gás deve se manter aquecido para executivos

18/12/2012 | 15h11

 

Segundo análises da Fesa, empresa de recrutamento de executivos da América Latina, o setor de petróleo e gás deve ter uma demanda alta de projetos no próximo ano. Isso porque muitos contratos que ficaram retidos pelas mudanças ocorridas na Petrobras em 2012 devem ser assinados no ano que vem, movimentando toda a cadeia. Além disso, as incertezas provocadas pela crise europeia ainda prejudicam, mas não devem inibir o crescimento da indútria.
Entre os subsetores que devem ter expressivo crescimento em 2013 destacam-se as áreas offshore (apoio marítimo e construção naval), equipamentos e serviços.
“Após alguns anos sem rodadas de licitações, em 2013 teremos duas rodadas: a primeira com licitações de blocos exploratórios no pós-sal e a segunda no pré-sal, o que levará a um aquecimento de contratações pelas operadoras, principalmente de geólogos e geofísicos”, afirma Rafael Faria, diretor da Fesa Rio.
Em busca de uma profissionalização das estruturas, a área offshore precisará de executivos em todas as frentes, da parte administrativa ao corpo operacional. Para Faria, as posições recorrentes nesse mercado serão CEOs, diretores de Operação, CFOs e gerentes de Construção.
Na área de equipamentos e serviços, o setor deve ter um cenário parecido nas empresas de menor porte em consolidação.
”Com a ampliação das linhas de produtos ofertados pelas empresas de maior porte haverá um incremento de buscas por profissionais líderes de divisões de negócio, assim como por toda estrutura necessária para operacionalizar o novo business”, completa o diretor da Fesa.

Segundo análises da Fesa, empresa de recrutamento de executivos da América Latina, o setor de petróleo e gás deve ter uma demanda alta de projetos no próximo ano. Isso porque muitos contratos que ficaram retidos pelas mudanças ocorridas na Petrobras em 2012 devem ser assinados no ano que vem, movimentando toda a cadeia. Além disso, as incertezas provocadas pela crise europeia ainda prejudicam, mas não devem inibir o crescimento da indútria.


Entre os subsetores que devem ter expressivo crescimento em 2013 destacam-se as áreas offshore (apoio marítimo e construção naval), equipamentos e serviços.


“Após alguns anos sem rodadas de licitações, em 2013 teremos duas rodadas: a primeira com licitações de blocos exploratórios no pós-sal e a segunda no pré-sal, o que levará a um aquecimento de contratações pelas operadoras, principalmente de geólogos e geofísicos”, afirma Rafael Faria, diretor da Fesa Rio.


Em busca de uma profissionalização das estruturas, a área offshore precisará de executivos em todas as frentes, da parte administrativa ao corpo operacional. Para Faria, as posições recorrentes nesse mercado serão CEOs, diretores de Operação, CFOs e gerentes de Construção.


Na área de equipamentos e serviços, o setor deve ter um cenário parecido nas empresas de menor porte em consolidação.


”Com a ampliação das linhas de produtos ofertados pelas empresas de maior porte haverá um incremento de buscas por profissionais líderes de divisões de negócio, assim como por toda estrutura necessária para operacionalizar o novo business”, completa o diretor da Fesa.

 



Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar