acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Política

Mercadante quer que educação receba todos os royalties do petróleo

23/08/2012 | 11h46

 

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, disse na quarta-feira (22) que o governo federal defenderá no Congresso e em debates com governos estaduais que a totalidade dos recursos decorrentes dos royalties de exploração do petróleo seja destinada para a educação.
“Seguramente é uma posição de governo, nós vamos defender com bastante convicção que todos os royalties do petróleo, tanto do pré-sal quanto royalties do petróleo que não foram repartidos para frente, e pelo menos metade do fundo social, sejam canalizados exclusivamente para a educação em todos os níveis”, disse o ministro.
A declaração foi dada após reunião no Palácio do Planalto com a presidente Dilma Rousseff, da qual também participaram representantes de entidades estudantis.
“É muito melhor que a gente coloque os royalties do petróleo na sala de aula e prepare uma futura geração cada vez mais qualificada para que a gente tenha um Brasil capaz de se desenvolver depois que o pré-sal passar, porque ele vai acabar (...) do que desperdiçar esse recurso na máquina pública sem nenhum controle”, afirmou Mercadante.
Durante o encontro, a presidente ponderou, segundo relatos de presentes, que é preciso que o Congresso defina no Plano Nacional de Educação (PNE) a origem dos recursos que assegurarão a previsão de investimento de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) para a educação.

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, disse na quarta-feira (22) que o governo federal defenderá no Congresso e em debates com governos estaduais que a totalidade dos recursos decorrentes dos royalties de exploração do petróleo seja destinada para a educação.


“Seguramente é uma posição de governo, nós vamos defender com bastante convicção que todos os royalties do petróleo, tanto do pré-sal quanto royalties do petróleo que não foram repartidos para frente, e pelo menos metade do fundo social, sejam canalizados exclusivamente para a educação em todos os níveis”, disse o ministro.


A declaração foi dada após reunião no Palácio do Planalto com a presidente Dilma Rousseff, da qual também participaram representantes de entidades estudantis.


“É muito melhor que a gente coloque os royalties do petróleo na sala de aula e prepare uma futura geração cada vez mais qualificada para que a gente tenha um Brasil capaz de se desenvolver depois que o pré-sal passar, porque ele vai acabar (...) do que desperdiçar esse recurso na máquina pública sem nenhum controle”, afirmou Mercadante.


Durante o encontro, a presidente ponderou, segundo relatos de presentes, que é preciso que o Congresso defina no Plano Nacional de Educação (PNE) a origem dos recursos que assegurarão a previsão de investimento de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) para a educação.

 



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar