acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Política

MCTI anuncia ações para pesquisa, desenvolvimento e inovação

23/09/2013 | 17h03

 

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antônio Raupp, e o secretário de Política de Informática do MCTI, Virgilio Almeida, anunciaram no último dia 19, em São Paulo, um edital para atrair centros de pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I).
Durante a cerimônia também foi anunciada a instalação do quarto Centro Global de PD&I no país, em parceria entre o MCTI e a SAP Labs Latin America, em mais uma das ações desenvolvidas pelo ministério no âmbito do TI Maior, programa estratégico de software e serviços de Tecnologia da Informação (TI).
A iniciativa pretende estimular e orientar empresas nacionais e estrangeiras a desenvolver pesquisas científicas, tecnológicas e de inovação. As propostas aprovadas na chamada pública contarão com R$ 14 milhões em recursos de bolsas oriundos do FNDCT/CT-Info, administrados pelo Centro Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI). O valor máximo a ser financiado é de R$ 2 milhões para cada projeto, com contrapartida igual ao valor fornecido.
“O edital ficará aberto por 45 dias e os critérios técnicos de avaliação são: grau de inovação, relevância, adequação dos recursos humanos, sinergia entre as áreas de pesquisa e desenvolvimento e integração com outras pesquisas e instituições, nacionais ou estrangeiras”, disse Virgilio.
A chama pública permite a inscrição de propostas apresentadas por empresas, instituições científicas e tecnológicas (ICTs) ou consórcios entre empresas e ICTs, tanto universidades como centros de pesquisa. As equipes de cada projeto podem contar com pesquisadores brasileiros e estrangeiros.
Um dos principais objetivos do programa é incentivar a atuação de pesquisadores brasileiros em centros de P&D, integrando as demandas do setor público com a capacidade dinamizadora da iniciativa privada.
“Há uma procura grande de empresas interessadas em investir no Brasil. Temos que estimular parcerias público-privadas, aliando a transformação do conhecimento em bens econômicos das empresas privadas com os esforços em pesquisa do setor público”, destacou Raupp.
Centros de Pesquisa Global
O evento marcou a formalização de parceria entre o MCTI e a SAP, por meio da SAP Labs Latin America, líder do mercado mundial de aplicações de software empresarial, para a constituição do quarto centro global de PD&I do país.
Localizado no campus da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), em São Leopoldo (RS), o centro atua em áreas como inteligência analítica, mobilidade, banco de dados e computação em nuvem.
Para funcionar como um centro global, a empresa está investindo R$ 60 milhões em obras de expansão, que devem ser concluídas até o final do ano.
A unidade tem 500 funcionários e opera como um centro de pesquisa, desenvolvendo softwares de ponta junto a setores indicados como pilares tecnológicos pelo programa TI Maior, como os setores agrícola, financeiro, energia, petróleo e gás e setor público.
“O acordo é mais uma evidência de que estamos alinhados com os objetivos traçados pelo governo federal e queremos continuar a fazer parte do desenvolvimento sustentável do país. Inovar e co-inovar com empresas brasileiras e produzir conhecimento localmente é o nosso objetivo”, disse o vice-presidente de operações da SAP para a América Latina do Sul, Fernando Lewis.
Meta
A parceria marca o cumprimento da meta estabelecida pelo MCTI de trazer para o Brasil quatro centros globais de PD&I até o fim de 2014. Parte importante das estratégias articuladas para o programa TI Maior, a atração dessas unidades é considerada estratégica para criar mecanismos que possibilitem o fluxo de pesquisas entre empresas e universidades.
Atualmente, o Brasil conta com três centros globais, instalados no país pela Intel, Microsoft e EMC. Com o montante investido pela SAP, o aporte realizado ultrapassa R$ 700 milhões.
“O país apresenta hoje uma plataforma global de oportunidades, um mercado em expansão, e tem a inovação como prioridade do governo. Nós pretendemos, com esses atributos, ampliar o mercado, a pesquisa e o intercâmbio de conhecimentos em TI, induzindo e absorvendo pesquisas estratégicas, fomentando investimentos e facilitando a exportação e aumento da competitividade das empresas brasileiras”, observou o secretário.
Segundo ele, em 2012, o crescimento do setor de Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) foi de 10,8%, enquanto a média mundial foi de 5,8%. O dispêndio nacional em P&D foi de R$ 50 bilhões, sendo que 52,8% desse montante foram investimentos públicos.

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antônio Raupp, e o secretário de Política de Informática do MCTI, Virgilio Almeida, anunciaram no último dia 19, em São Paulo, um edital para atrair centros de pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I).


Durante a cerimônia também foi anunciada a instalação do quarto Centro Global de PD&I no país, em parceria entre o MCTI e a SAP Labs Latin America, em mais uma das ações desenvolvidas pelo ministério no âmbito do TI Maior, programa estratégico de software e serviços de Tecnologia da Informação (TI).


A iniciativa pretende estimular e orientar empresas nacionais e estrangeiras a desenvolver pesquisas científicas, tecnológicas e de inovação. As propostas aprovadas na chamada pública contarão com R$ 14 milhões em recursos de bolsas oriundos do FNDCT/CT-Info, administrados pelo Centro Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI). O valor máximo a ser financiado é de R$ 2 milhões para cada projeto, com contrapartida igual ao valor fornecido.


“O edital ficará aberto por 45 dias e os critérios técnicos de avaliação são: grau de inovação, relevância, adequação dos recursos humanos, sinergia entre as áreas de pesquisa e desenvolvimento e integração com outras pesquisas e instituições, nacionais ou estrangeiras”, disse Virgilio.


A chama pública permite a inscrição de propostas apresentadas por empresas, instituições científicas e tecnológicas (ICTs) ou consórcios entre empresas e ICTs, tanto universidades como centros de pesquisa. As equipes de cada projeto podem contar com pesquisadores brasileiros e estrangeiros.


Um dos principais objetivos do programa é incentivar a atuação de pesquisadores brasileiros em centros de P&D, integrando as demandas do setor público com a capacidade dinamizadora da iniciativa privada.


“Há uma procura grande de empresas interessadas em investir no Brasil. Temos que estimular parcerias público-privadas, aliando a transformação do conhecimento em bens econômicos das empresas privadas com os esforços em pesquisa do setor público”, destacou Raupp.



Centros de Pesquisa Global


O evento marcou a formalização de parceria entre o MCTI e a SAP, por meio da SAP Labs Latin America, líder do mercado mundial de aplicações de software empresarial, para a constituição do quarto centro global de PD&I do país.


Localizado no campus da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), em São Leopoldo (RS), o centro atua em áreas como inteligência analítica, mobilidade, banco de dados e computação em nuvem.
Para funcionar como um centro global, a empresa está investindo R$ 60 milhões em obras de expansão, que devem ser concluídas até o final do ano.


A unidade tem 500 funcionários e opera como um centro de pesquisa, desenvolvendo softwares de ponta junto a setores indicados como pilares tecnológicos pelo programa TI Maior, como os setores agrícola, financeiro, energia, petróleo e gás e setor público.


“O acordo é mais uma evidência de que estamos alinhados com os objetivos traçados pelo governo federal e queremos continuar a fazer parte do desenvolvimento sustentável do país. Inovar e co-inovar com empresas brasileiras e produzir conhecimento localmente é o nosso objetivo”, disse o vice-presidente de operações da SAP para a América Latina do Sul, Fernando Lewis.



Meta


A parceria marca o cumprimento da meta estabelecida pelo MCTI de trazer para o Brasil quatro centros globais de PD&I até o fim de 2014. Parte importante das estratégias articuladas para o programa TI Maior, a atração dessas unidades é considerada estratégica para criar mecanismos que possibilitem o fluxo de pesquisas entre empresas e universidades.


Atualmente, o Brasil conta com três centros globais, instalados no país pela Intel, Microsoft e EMC. Com o montante investido pela SAP, o aporte realizado ultrapassa R$ 700 milhões.


“O país apresenta hoje uma plataforma global de oportunidades, um mercado em expansão, e tem a inovação como prioridade do governo. Nós pretendemos, com esses atributos, ampliar o mercado, a pesquisa e o intercâmbio de conhecimentos em TI, induzindo e absorvendo pesquisas estratégicas, fomentando investimentos e facilitando a exportação e aumento da competitividade das empresas brasileiras”, observou o secretário.


Segundo ele, em 2012, o crescimento do setor de Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) foi de 10,8%, enquanto a média mundial foi de 5,8%. O dispêndio nacional em P&D foi de R$ 50 bilhões, sendo que 52,8% desse montante foram investimentos públicos.

 



Fonte: Revista TN Petróleo, Redação com Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar