acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Combustíveis

Mantendo a política de preços dos combustíveis

25/10/2017 | 09h14

Pedro Parente da Petrobras falou sobre a atual política de preços que vem sendo adotada pela companhia e que vem provocando oscilações nos preços da gasolina e do diesel nos postos de todo o país. Sobre o assunto ele foi enfático:

“A Petrobras não faz preço de combustíveis. São commodities com um grande número de compradores e de vendedores. Então a ideia de que a Petrobras faz preço não condiz com a realidade. Ninguém é capaz disso”.

Para Parente, a empresa simplesmente reage às oscilações do preço dos derivados no mercado internacional e também às alterações no regime tributário brasileiro. “Nós tivemos dois fenômenos importantes: um foi a elevação dos impostos [da parcela de PIS/Confins sobre os combustíveis, promovida pelo governo], e que respondeu por uma parcela grande dos aumentos verificados nos últimos meses”, disse.

Ressaltou também problemas climáticos como os furacões na parte norte-americana do Golfo do México. “Houve essa questão aí dos efeitos climáticos na área de Houston [no estado do Texas, Estados Unidos]: os furacões, que provocaram em um primeiro momento um aumento dos combustíveis [gasolina e diesel] e, em um momento seguinte, um aumento no próprio preço do petróleo”.

Para o presidente da Petrobras, no entanto, a situação tende a se normalizar, com o preço do petróleo brent se estabilizando em um nível aí entre os US$ 56 e US$ 57: “Mas é muito difícil fazer previsões sobre o assunto”, ressaltou.



Fonte: Redação/Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar