acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energia

Mais energia no Sul

06/07/2010 | 10h05

A Eletrobras CGTEE entrega no dia 20 de setembro a usina termelétrica Candiota III (Fase C), já planeja iniciar nos próximos anos a construção da Fase D e deve trocar os equipamentos da sua unidade em São Jerônimo (RS), a termelétrica a carvão mais antiga em operação no país. Nos estudos de viabilidade técnico-financeira da Fase D estão previstas duas unidades geradoras de 300 ou 350 MW cada.

 

Mesmo fazendo a manutenção e recuperação das suas unidade mais antigas, como as Fases A e B, a primeira operando desde 1974 e a outra desde 1983, o presidente da Eletrobras CGTEE, Sereno Chaise, afirma que foi um erro deixar passar tantos anos sem investir em nenhuma unidade nova. "Máquinas envelhecem e baixam sua capacidade de produção. Foi um erro estratégico para uma empresa que é só de geração não construir nada em tantos anos. Pensando no futuro, devemos ir além da Fase D. Quem sabe uma Fase E?", cogita Sereno.

 

Além de pensar em novos investimentos, a CGTEE continua investindo na recuperação das suas unidades de Candiota (RS). Estão sendo recuperadas as caldeiras da Fase B – investimento de mais de R$ 100 milhões. As duas novas unidades da Fase D, que poderão gerar até 700 MW, são consideradas estratégias para suprir a demanda pelo crescimento de energia.

 

Até a sua entrada em operação comercial, Candiota III deverá executar um calendário de testes dos equipamentos. O teste da pressão da caldeira aconteceu em junho. O primeiro acendimento da caldeira com óleo (combustível auxiliar) está previsto para o dia 20 de agosto, o acendimento da caldeira com carvão (combustível principal), para o dia 9 de setembro, e a entrada em operação comercial, para 20 de setembro.

 

São Jerônimo


A CGTEE receberá da Eletronorte, outra subsidiária da Eletrobras, sem custos, duas máquinas geradoras de 25 MW. O equipamento será transferido para a usina de São Jerônimo, visando melhorar a produção daquela unidade. A usina de São Jerônimo, inaugurada em 1957, tem capacidade instalada de geração de 20 MW e possui três maquinas – uma de 10 e duas de 5 MW –, mas atualmente gera somente 5 MW. O equipamento que será enviado pela Eletronorte para a CGTEE foi projetado inicialmente para a queima de cavaco de madeira e deverá ser adaptado para o uso de carvão mineral e dotado de equipamentos para proteção ambiental. Os equipamentos, que estão estocados em Manaus (AM) e em ótimas condições de conservação, segundo a última inspeção da Eletronorte, são compostos de caldeira, turbina, gerador e sistemas auxiliares.
 



Fonte: Redação/ Agências
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar