acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

Maersk Oil investe R$ 1,2 milhão em projeto de P&D na UFRGS

26/11/2012 | 13h15

 

Maersk Oil investe R$ 1,2 milhão em projeto de P&D na UFRGS
 
A Maersk Oil está investindo R$ 1,2 milhão em um projeto de pesquisa que será desenvolvido pelo Departamento de Geologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Para a execução desse projeto, denominado Estudo Integrado sobre Reservatórios Produtores da Bacia de Campos, foi montado um laboratório nas dependências da UFRGS. A iniciativa faz parte do cumprimento do programa de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), conforme a cláusula de Participação Especial (PE) da Lei do Petróleo.  
 
     O objetivo do projeto é o estudo dos reservatórios arenosos, componentes de significativos intervalos rochosos portadores de petróleo, similares aos reservatórios dos campos de Polvo, Peregrino, Papa-Terra, Maromba, entre outros da Bacia de Campos. A pesquisa busca compreender a sequência de deposição de rochas, as diferentes características das rochas-reservatórios e como elas se encontram distribuídas em subsuperfície, no tempo geológico e em área.   
 
“Este projeto é muito importante para a nossa companhia, pois o investimento em pesquisa é fundamental para o desenvolvimento tecnológico do setor de óleo e gás. Além disso, a formação de mão de obra por meio do treinamento e com o contato com profissionais da indústria do petróleo são uns dos principais objetivos dos projetos de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D)”, ressaltou Paulo Menezes, Gerente de Exploração da Maersk Oil.
 
Segundo o Prof. Luiz Fernando De Ros, coordenador do Projeto, além do aspecto acadêmico, o estudo vem de encontro aos anseios da indústria, no que diz respeito à redução dos riscos envolvidos na exploração de petróleo e outros recursos naturais estratégicos. "Nossa expectativa é de que os resultados obtidos auxiliem na otimização das operações da Maersk e que, ao mesmo tempo, a pesquisa possibilite o treinamento de estudantes da UFRGS em técnicas modernas de exploração de hidrocarbonetos", conclui De Ros.
 
A equipe da UFRGS, junto à Fundação Luiz Englert, terá o prazo de um ano para apresentar considerações, ideias e conclusões a respeito dos reservatórios areníticos da Bacia de Campos.
 

A Maersk Oil está investindo R$ 1,2 milhão em um projeto de pesquisa que será desenvolvido pelo Departamento de Geologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Para a execução desse projeto, denominado Estudo Integrado sobre Reservatórios Produtores da Bacia de Campos, foi montado um laboratório nas dependências da UFRGS. A iniciativa faz parte do cumprimento do programa de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), conforme a cláusula de Participação Especial (PE) da Lei do Petróleo.  


 
O objetivo do projeto é o estudo dos reservatórios arenosos, componentes de significativos intervalos rochosos portadores de petróleo, similares aos reservatórios dos campos de Polvo, Peregrino, Papa-Terra, Maromba, entre outros da Bacia de Campos. A pesquisa busca compreender a sequência de deposição de rochas, as diferentes características das rochas-reservatórios e como elas se encontram distribuídas em subsuperfície, no tempo geológico e em área.   


 
“Este projeto é muito importante para a nossa companhia, pois o investimento em pesquisa é fundamental para o desenvolvimento tecnológico do setor de óleo e gás. Além disso, a formação de mão de obra por meio do treinamento e com o contato com profissionais da indústria do petróleo são uns dos principais objetivos dos projetos de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D)”, ressaltou Paulo Menezes, Gerente de Exploração da Maersk Oil.


 
Segundo o Prof. Luiz Fernando De Ros, coordenador do Projeto, além do aspecto acadêmico, o estudo vem de encontro aos anseios da indústria, no que diz respeito à redução dos riscos envolvidos na exploração de petróleo e outros recursos naturais estratégicos. "Nossa expectativa é de que os resultados obtidos auxiliem na otimização das operações da Maersk e que, ao mesmo tempo, a pesquisa possibilite o treinamento de estudantes da UFRGS em técnicas modernas de exploração de hidrocarbonetos", conclui De Ros.


 
A equipe da UFRGS, junto à Fundação Luiz Englert, terá o prazo de um ano para apresentar considerações, ideias e conclusões a respeito dos reservatórios areníticos da Bacia de Campos.
 

 



Fonte: Redação TN
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar