acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
publicidade
Energia elétrica

Lula diz que país não enfrentará mais racionamento de energia

21/12/2004 | 00h00

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva garantiu nesta segunda-feira (20/12), durante o lançamento do Fundo Brasil Energia, que o Brasil não enfrentará mais problemas de racionamento de energia, como ocorreu em 2001. Segundo o presidente, o governo federal vem há dois anos trabalhando para consolidar o sistema energético e garantir investimentos em infra-estrutura que acompanhem o crescimento do país. "Vivemos um momento oposto ao apagão de 2001. Temos um horizonte amplo e bom vento que sopra na direção do futuro. A ministra Dilma dedicou dois anos a construir as bases para que o Brasil nunca mais tivesse apagão, para construir as bases de modelo energético do Brasil com clareza nos contratos", enfatizou Lula.
O presidente também comemorou os avanços no marco regulatório do setor energético e ressaltou que os investidores podem agora ficar tranqüilos quando assumem novos empreendimentos no setor. "O risco para o investidor será igual a zero", disse o presidente. Na avaliação de Lula, "voltou a ser um bom negócio" investir em infra-estrutura e no desenvolvimento a longo prazo em todo o país - especialmente após a aprovação, pelo Congresso Nacional, das Parcerias Público-Privadas. "Esperamos que elas sejam aprovadas esta semana, ou no mais tardar, na semana que vem".
O Fundo Brasil Energia prevê o investimento inicial de R$ 740 milhões para que, até dezembro de 2006, o Brasil ganhe 3.300 MW de fontes alternativas de energia elétrica. O Fundo irá gerar a chamada "energia limpa", proveniente de fontes alternativas como a biomassa, energie eólica e pequenas centrais hidrelétricas. "O Fundo que lançamos representa suporte adicional bem-vindo e animador. O Fundo nasce com capital de R$ 740 milhões, mas com autorização para atingir R$ 1,2 bilhão em pouco tempo", disse o presidente.
O Fundo vai receber recursos de seis fundos de pensão, medida que foi comemorada pelo presidente. Segundo Lula, os fundos deveriam seguir o exemplo do setor energético e investir também na construção de casas populares. "Há de chegar o dia em que os fundos vão financiar outros setores", ressaltou Lula.



Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar