acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Gás natural

Lula diz que Brasil não dependerá de fontes externas de energia

12/02/2007 | 00h00

O Brasil quer integrar uma rede sul-americana de petróleo e gás e estuda um projeto venezuelano de construção de um gasoduto regional, mas prefere "ser dono do seu próprio nariz", sem depender de ninguém, afirmou hoje o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"Sonho que a Comunidade Sul-Americana de Nações evolua tanto até que possamos estabelecer entre nós uma integração energética, mas não é fácil, estamos trabalhando", disse Lula durante discurso.

O presidente participou do início das operações comerciais de um novo campo produtor de gás natural da Petrobras na Bahia.

Lula falou sobre o projeto do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, de construir "um gasoduto de US$ 15 bilhões ou mais" que levará gás venezuelano até a Argentina, passando pelo Brasil.

"É um desejo nosso, dos presidentes. Precisamos que os técnicos trabalhem mais e mais para ver se é possível fazer um acordo de envergadura internacional", para que possa ser construído, assinalou.

O "Gasoduto do Sul" foi criticado por ser uma obra faraônica de duvidosa viabilidade ambiental, econômica e energética. Seu custo ultrapassaria os US$ 23 bilhões, com uma extensão de oito mil quilômetros.

Em janeiro, Chávez e Lula definiram no Rio de Janeiro que os técnicos completarão os estudos de engenharia da primeira parte do projeto - que vai do porto de Güiria, no leste da Venezuela, até Recife - este ano.

Este parte teria cinco mil quilômetros e transportaria 50 milhões de metros cúbicos por dia.

"Mas em matéria de energia não precisamos depender de ninguém.

Temos condições para isso", disse Lula, ao afirmar que o Brasil vive hoje "um dia extraordinário", com o início das operações comerciais do campo de "Manatí".

Segundo o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, este novo campo resolverá o problema de falta de gás na Bahia.

Com um investimento total de US$ 580 milhões, o campo Manatí produz dois milhões de metros cúbicos por dia, e chegará a seis milhões este ano.

Lula prometeu que o Brasil não repetirá os erros de planejamento energético do passado, que levaram ao racionamento de eletricidade e combustível.

"Por isso, decidimos fazer os investimentos e as associações que tenham que ser feitas para não desmotivar qualquer pessoa que queira investir no Brasil", disse.

O ministro de Minas e Energia, Silas Rondeu, disse que serão investidos R$ 40 bilhões até 2010 para antecipar a produção de reservas já localizadas e para aumentar a oferta de gás no mercado.

Os fundos fazem parte de um programa oficial que inclui investimentos totais de R$ 179 bilhões em petróleo e gás até 2010.

"A tendência é que a provisão desta energia junto com a importação da Bolívia (de 26 milhões de metros cúbicos diários) forneça, sem nenhum tipo de susto, o gás necessário para diversificar a matriz energética do Brasil", disse Rondeau.



Fonte: Agência EFE
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar