acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Resultado

Lucros da Galp crescem 51%

29/04/2013 | 11h05

 

Os lucros da Galp Energia aumentaram 51% no primeiro trimestre em comparação com o mesmo período do ano passado. A petrolífera chegou a Março com um resultado líquido de 75 milhões de euros e explica esta subida com o incremento da produção de petróleo e de gás natural no Brasil, a evolução positiva das margens de refinação e o aumento de vendas de Gás Natural Liquefeito (GNL).
Em comunicado, a Galp indica que a produção total aumentou 4% e a grande maioria corresponde à produção de petróleo que, no Brasil, cresceu 51% face ao período homólogo de 2012. Este país tornou-se, diz a empresa, “no principal pilar de crescimento da produção da Galp Energia, compensando o declínio natural da produção dos campos do bloco 14, em Angola, que já se encontram numa fase de maturidade avançada”.
As exportações de produtos petrolíferos para fora da Península Ibérica aumentaram 17% em relação ao 1º trimestre de 2012, situando-se em cerca de um milhão de toneladas. Em Portugal e Espanha registaram-se “quedas acentuadas nos volumes vendidos petrolíferos”.
O negócio da distribuição (postos de abastecimento de combustível) “continuou a ser afectado pela queda da procura na Península Ibérica em consequência da conjuntura económica na região”, refere no comunicado.

Os lucros da Galp Energia aumentaram 51% no primeiro trimestre em comparação com o mesmo período do ano passado. A petrolífera chegou a Março com um resultado líquido de 75 milhões de euros e explica esta subida com o incremento da produção de petróleo e de gás natural no Brasil, a evolução positiva das margens de refinação e o aumento de vendas de Gás Natural Liquefeito (GNL).


Em comunicado, a Galp indica que a produção total aumentou 4% e a grande maioria corresponde à produção de petróleo que, no Brasil, cresceu 51% face ao período homólogo de 2012. Este país tornou-se, diz a empresa, “no principal pilar de crescimento da produção da Galp Energia, compensando o declínio natural da produção dos campos do bloco 14, em Angola, que já se encontram numa fase de maturidade avançada”.


As exportações de produtos petrolíferos para fora da Península Ibérica aumentaram 17% em relação ao 1º trimestre de 2012, situando-se em cerca de um milhão de toneladas. Em Portugal e Espanha registaram-se “quedas acentuadas nos volumes vendidos petrolíferos”.


O negócio da distribuição (postos de abastecimento de combustível) “continuou a ser afectado pela queda da procura na Península Ibérica em consequência da conjuntura económica na região”, refere no comunicado.

 



Fonte: Revista TN Petróleo, Redação com agências
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar