acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Finanças

Lucro trimestral da Petrobras deve crescer 43% e atingir R$ 7 bilhões

11/08/2006 | 00h00

Com a manutenção do preço do petróleo em patamares elevados e o crescimento da produção no Brasil, analistas do mercado estimam que a Petrobras terá um lucro líquido de aproximadamente R$ 7 bilhões no segundo trimestre, contra R$ 4,9 bilhões no mesmo período do ano passado. Esse valor é quase um consenso de mercado, previsto em relatórios do Credit Suisse, Centro Brasileiro de Infra-Estrutura (CBIE) e pelo banco de investimentos Merrill Lynch. O resultado da Petrobras será divulgado hoje após fechamento da bolsa.

No primeiro trimestre do ano, a companhia teve lucro de R$ 6,675 bilhões, 33% maior que os R$ 5,021 bilhões apurados no mesmo período de 2005. O Merrill Lynch espera um resultado "robusto" no trimestre, de R$ 7,027 bilhões. Próximo dos R$ 7,078 bilhões estimados pelo Credit Suisse.

Em seu relatório, os analistas do Merrill Lynch ressaltam que, apesar da estagnação da produção em junho, devido a parada programada de plataformas, a companhia será beneficiada pela alta de preços do petróleo, com a área de refino refletindo os altos preços do insumo e o atraso no repasse para os consumidores de gasolina e diesel. O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (lajida) esperado pelo Merrill Lynch é de R$ 13,948 bilhões, enquanto o Credit Suisse estima um lajida de R$ 14,43 bilhões, 22% acima do verificado no no segundo trimestre de 2005.

Os analistas Emerson Leite e Vinicius Canheu, do Credit Suisse, destacam que a contribuição da produção para o resultado do segundo trimestre será menor do que o aumento dos preços do petróleo no mercado internacional. Já o custo de produção deve se manter elevado mesmo com o início de operação das plataformas P-50 e da unidade FPSO Capixaba, que não estavam trabalhando a plena capacidade no trimestre passado.

Adriano Pires, do CBIE, acredita que os resultados da área de exploração e produção serão elevados. "A área de gás e energia deu uma acomodada, o que melhora o resultado, e o abastecimento poderia ter lucro maior se não tivesse uma defasagem de preços no mercado nacional. Mesmo assim, o resultado da área deve melhorar porque a Petrobras está refinando mais petróleo brasileiro, o que melhora as margens de refino."

O analista do CBIE ressaltou que devido à ameaça de ataques em Londres a aviões com destino aos Estados Unidos, o preço do petróleo pode subir para US$ 80 o barril no curto prazo, o que deve se refletir em melhora dos resultados das petroleiras. Mas ontem, o efeito dos atentados sobre os preços foi o contrário. Na média, o petróleo do tipo WTI foi cotado a US$ 70,3 o barril no segundo trimestre deste ano, contra a média de US$ 53 no mesmo período do ano passado.

O presidente da Petrobras, Sérgio Gabrielli, disse que a empresa está interessada em estabelecer uma aliança com a estatal peruana Petroperu, para desenvolver projetos de exploração e produção de petróleo e gás. A Petrobras está presente no país desde meados da década de 1990 e produz 15 mil barris por dia de óleo e gás.



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar