acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Resultado

Lucro líquido da Usiminas atinge R$ 222 milhões no 1T14

24/04/2014 | 17h37

 

Lucro líquido da Usiminas atinge R$ 222 milhões no 1T14
Ebitda foi o maior desde o 3T10, refletindo melhor desempenho de todas as unidades de negócio, melhoria da eficiência operacional e controle de custos
 
A Usiminas – líder no mercado interno de aços planos – registrou lucro líquido de R$ 222 milhões no 1T14, revertendo o prejuízo de R$ 123 milhões no mesmo período do ano passado. Já o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) atingiu o maior patamar desde o 3T10: R$ 655 milhões, aumento de 109% em relação ao 1T13. Os resultados se deveram ao crescimento do desempenho de todas as unidades de negócio da Companhia, aliado ao processo de melhoria da eficiência operacional e controle de custos.
Como resultado da estratégia de priorizar uma maior integração com os clientes do mercado interno, as vendas domésticas da Usiminas foram de 1,268 milhão de t no 1T14 (88% do total de vendas), aumento de 3% em relação ao 1T13. Já o volume total de vendas decresceu 10% e foi 1,437 milhão de t, em função da redução das exportações. No 1T14, a produção de aço bruto das usinas de Ipatinga e de Cubatão foi de 1,652 milhão de t, estável quando comparada ao mesmo período do ano passado.
Já na Mineração Usiminas, o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) alcançou R$ 175 milhões no 1T14, aumento de 22% em relação ao 1T13. O volume de vendas de minério de ferro, no 1T14, atingiu 1,765 milhão de t, 31% superior ao do 1T13, em função, principalmente, da maior demanda no mercado externo. A produção caiu 2%, representando 1,618 milhão de t. 
O presidente da Usiminas, Julián Eguren, destaca a disciplina das equipes na gestão rigorosa dos custos, na busca por maior produtividade e por maior integração com os clientes. “Esses fatores foram decisivos para estabilizar a Companhia e, acima de tudo, prepará-la para o futuro. Em 2014, seguiremos focados em extrair os melhores ganhos de eficiência operacional, em melhorar o serviço para os clientes e também em desenvolver um forte programa de desenvolvimento de recursos humanos. Estamos avançando no processo de melhoria contínua da Usiminas e consolidando o seu protagonismo industrial no Brasil e na América Latina”, afirma o executivo.
Os investimentos no 1T14 totalizaram R$ 238 milhões, focados na atualização tecnológica das plantas, na reforma da Coqueria II em Ipatinga e no Projeto Friáveis, na Mineração. Do total dos investimentos no período, foram aplicados 83% na Siderurgia, 12% na Mineração, 3% na Transformação do Aço e 2% em Bens de Capital.

A Usiminas, fabricante de aços planos, informou hoje (24) que registrou lucro líquido de R$ 222 milhões no 1T14, revertendo o prejuízo de R$ 123 milhões no mesmo período do ano passado. Já o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) atingiu o maior patamar desde o 3T10: R$ 655 milhões, aumento de 109% em relação ao 1T13. Os resultados se deveram ao crescimento do desempenho de todas as unidades de negócio da Companhia, aliado ao processo de melhoria da eficiência operacional e controle de custos.

Como resultado da estratégia de priorizar uma maior integração com os clientes do mercado interno, as vendas domésticas da Usiminas foram de 1,268 milhão de t no 1T14 (88% do total de vendas), aumento de 3% em relação ao 1T13. Já o volume total de vendas decresceu 10% e foi 1,437 milhão de t, em função da redução das exportações. No 1T14, a produção de aço bruto das usinas de Ipatinga e de Cubatão foi de 1,652 milhão de t, estável quando comparada ao mesmo período do ano passado.Já na Mineração Usiminas, o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) alcançou R$ 175 milhões no 1T14, aumento de 22% em relação ao 1T13.

O volume de vendas de minério de ferro, no 1T14, atingiu 1,765 milhão de t, 31% superior ao do 1T13, em função, principalmente, da maior demanda no mercado externo. A produção caiu 2%, representando 1,618 milhão de t. O presidente da Usiminas, Julián Eguren, destaca a disciplina das equipes na gestão rigorosa dos custos, na busca por maior produtividade e por maior integração com os clientes.

“Esses fatores foram decisivos para estabilizar a Companhia e, acima de tudo, prepará-la para o futuro. Em 2014, seguiremos focados em extrair os melhores ganhos de eficiência operacional, em melhorar o serviço para os clientes e também em desenvolver um forte programa de desenvolvimento de recursos humanos. Estamos avançando no processo de melhoria contínua da Usiminas e consolidando o seu protagonismo industrial no Brasil e na América Latina”, afirma o executivo.Os investimentos no 1T14 totalizaram R$ 238 milhões, focados na atualização tecnológica das plantas, na reforma da Coqueria II em Ipatinga e no Projeto Friáveis, na Mineração. Do total dos investimentos no período, foram aplicados 83% na Siderurgia, 12% na Mineração, 3% na Transformação do Aço e 2% em Bens de Capital.

 



Fonte: Redação TN/ Ascom Usinimas
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar