acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
publicidade
Resultado

Lucro da Shell cresce 22% no trimestre

30/10/2008 | 04h56

A Royal Dutch Shell registrou alta de 22,2% no lucro líquido do terceiro trimestre deste ano, com o preço do petróleo bem mais alto do que há um ano e com o forte desempenho em refino e marketing contrabalançando uma queda na produção. A companhia de energia anglo-holandesa informou que o lucro líquido dos três meses encerrados em 30 de setembro totalizou US$ 8,45 bilhões, em comparação com US$ 6,92 bilhões do mesmo período de 2007. A receita atingiu US$ 131,57 bilhões, 45,1% acima dos US$ 90,70 bilhões obtidos no terceiro trimestre do ano passado.

 

A produção total de petróleo e gás da Shell no trimestre foi de 2,93 milhões de barris de óleo equivalente por dia, uma queda de 6,6% em relação ao terceiro trimestre de 2007, em conseqüência de interrupções no Golfo do México por causa do furacão Ike, sabotagens nas operações da empresa na Nigéria e diminuição da parte que a companhia recebe pelos contratos de compartilhamento de produção. Essa foi a maior queda trimestral da produção da Shell desde o segundo trimestre de 2006 e foi levemente maior do que o esperado por analistas, que previam declínio de 6,3% na produção, para 2,94 milhões de barris de óleo equivalente por dia.

 

A Shell informou que o custo limpo atual dos suprimentos, um dado bastante observado - que não leva em conta ganhos ou perdas com estoques e outros fatores não operacionais -, subiu 44,3%, para US$ 8,84 bilhões no período, de US$ 6,13 bilhões no terceiro trimestre do ano passado. A Shell registrou ganhos extraordinários no valor de US$ 2,06 bilhões no trimestre, boa parte vinda de vendas de ativos.

 

O executivo-chefe da companhia, Jeroen van der Veer, afirmou que os resultados foram satisfatórios e que a Shell está observando atentamente a situação econômica mundial, que provocou a queda dos preços do petróleo pela metade desde julho. "A Shell se mantém firme com uma ampla variação dos preços da energia", garantiu. As informações são da Dow Jones.



Fonte: Agência Estado
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar