acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Petrobras

Lucro da estatal cai 38% no 1º trimestre

14/05/2007 | 00h00

O diretor Financeiro e de Relações com Investidores da Petrobras, Almir Barbassa, apresentou nesta sexta-feira (11), os resultados da companhia no primeiro trimestre de 2007. A Petrobras teve lucro de R$ 4,131 bilhões no primeiro trimestre do ano, resultado 38% inferior aos R$ 6,774 bilhões do mesmo período do ano passado.

Segundo o diretor Financeiro da estatal, o resultado é conseqüência, dentre outros fatores, da queda do petróleo, da valorização do real e de custos de produção mais altos, além do impacto do prêmio pago aos investidores em operação de troca de títulos e do aumento das despesas operacionais causadas pelo incentivo financeiro pago aos participantes do Plano Petros.

O resultado da área internacional da companhia foi o pior do trimestre, em relação ao mesmo período de 2006, saindo de lucro R$ 236 milhões para prejuízo de R$ 259 milhões.

Barbassa atribuiu o resultado, sobretudo à redução de participação nas operações na Venezuela e à nacionalização e elevação da tributação sobre as operações na Bolívia, além da apreciação de 6% do real frente ao dólar no processo de conversão das demonstrações contábeis.

Para o diretor Financeiro da Petrobras, essa perda já estava prevista nas contas do mercado financeiro.

Em comunicado ao mercado, o presidente da companhia, José Sergio Gabrielli, explicou que o primeiro trimestre já é caracterizado por uma forte sazonalidade no consumo de combustíveis, dado o menor número de dias corridos e úteis no Brasil, principal mercado da estatal.

"Adicionalmente, nossos técnicos têm enfrentado desafios tanto no campo operacional quanto comercial e corporativo", acrescentou, destacando os atrasos na entrega de plataformas de produção, dificuldades para exploração dos campos de Golfinho (ES) e Albacora Leste (RJ) e os esforços para superar os problemas na Bolívia e garantir o suprimento de gás natural para o Brasil.

Segundo a estatal a produção de petróleo e LGN subiu 3%, a produção de derivados cresceu 7%, alavancada pela aquisição da Refinaria de Pasadena, no Texas, além do que, os investimentos cresceram 40% em relação ao 1ºtrimestre de 2006.



Fonte: Da redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar