acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
1º Leilão do Pré-Sal

Lobão: Petrobras não terá dificuldade em pagar bônus de assinatura

22/10/2013 | 17h35

 

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse hoje (22) que a Petrobras não terá dificuldade em cumprir sua parte no bônus de assinatura, após o leilão da área de Libra, realizado ontem (21). A estatal ficou com 40% de participação no consórcio vencedor e terá que pagar R$ 6 bilhões à União como bônus.
“A Petrobras não terá dificuldades, fez isso depois de uma avaliação interna, discutiu o assunto com quem devia e concluiu que seria plenamente capaz. Tudo isso foi calculado, e ela vai atender responsavelmente”, destacou Lobão.
Segundo o ministro, a Petrobras tem plenas condições de prover suas necessidades financeiras, mas, se tiver necessidade de fazer empréstimos, fará tranquilamente. “O mercado financeiro está aberto a ela”.
O ministro não quis comentar a possibilidade de reajuste de combustíveis até o fim do ano. “É um assunto do qual já falei em demasia”. Recentemente, Lobão disse que o governo ainda não tinha definição sobre aumento no preço da gasolina. No início do ano, o governo autorizou aumento de 6,6% da gasolina nas refinarias para alinhar o preço do combustível ao mercado internacional. O reajuste pedido pela Petrobras tinha sido de 13% para todo o ano.

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse hoje (22) que a Petrobras não terá dificuldade em cumprir sua parte no bônus de assinatura, após o leilão da área de Libra, realizado ontem (21). A estatal ficou com 40% de participação no consórcio vencedor e terá que pagar R$ 6 bilhões à União como bônus.

“A Petrobras não terá dificuldades, fez isso depois de uma avaliação interna, discutiu o assunto com quem devia e concluiu que seria plenamente capaz. Tudo isso foi calculado, e ela vai atender responsavelmente”, destacou Lobão.

Segundo o ministro, a Petrobras tem plenas condições de prover suas necessidades financeiras, mas, se tiver necessidade de fazer empréstimos, fará tranquilamente. “O mercado financeiro está aberto a ela”.

O ministro não quis comentar a possibilidade de reajuste de combustíveis até o fim do ano. “É um assunto do qual já falei em demasia”. Recentemente, Lobão disse que o governo ainda não tinha definição sobre aumento no preço da gasolina. No início do ano, o governo autorizou aumento de 6,6% da gasolina nas refinarias para alinhar o preço do combustível ao mercado internacional. O reajuste pedido pela Petrobras tinha sido de 13% para todo o ano.



Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar