acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energia

Leilão de transmissão tem deságio de 43%, que vai se refletir em eletricidade mais barata

10/12/2010 | 09h28
Leilão de transmissão tem deságio de 43%, que vai se refletir em eletricidade mais barata
Leilão de transmissão tem deságio de 43%, que vai se ... Leilão de transmissão tem deságio de 43%, que vai se ...
Sete dos oito lotes postos à venda pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para obras de linhas de transmissão de energia foram arrematados ontem (9), em leilão na Bolsa de Valores de São Paulo (BM&F Bovespa). O deságio médio foi de 43,67%. Neste terceiro e último leilão do ano, a taxa de deságio ficou acima da média registrada desde 2000. Isso fará com que a Receita Anual Permitida (RAP) - faturamento que a transmissora poderá obter com a prestação do serviço - caia de R$ 93 milhões para R$ 52,42 milhões.
 

O leilão foi considerado “bem-sucedido” pelo diretor da Aneel Edvaldo Alves de Santana. “Foi excelente, porque esse deságio significa que as tarifas vão ser menores e, também, vai aumentar a confiabilidade no sistema elétrico”.
 

As autorizações para implantar 555 quilômetros (km) de linhas de transmissão foram disputadas por 14 empresas e dez consórcios, entre os quais companhias brasileiras, espanholas, chinesas e portuguesas.
 

Orçadas em R$ 785,8 milhões, as obras de implantação de linhas de transmissão e subestações serão feitas em seis estados: Rio Grande do Sul, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Pará. Pelas estimativas da Aneel, deverão ser gerados mais de 4 mil empregos diretos.
 

Apenas um lote, o da Linha de Transmissão Xavantes-Pirineus, em Goiás, com 50 km de extensão, não teve interessados.
 

Os vencedores do leilão deverão apresentar os documentos de habilitação no dia 17 de dezembro e a oficialização dos negócios está marcada para 18 de janeiro de 2011. Pelos termos do acordo, o início das operações deve ocorrer até 24 meses após a assinatura do contrato.


Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar