acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energia

Leilão de hidrelétricas viabiliza a construção de sete usinas com 809 MW

30/07/2010 | 14h52
O Leilão de Energia para fonte hidrelétrica A-5/2010, realizado nesta sexta-feira (30) pelo Governo Federal, viabilizou a contratação de sete usinas, sendo três de médio porte e quatro pequenas centrais hidrelétricas (PCHs), totalizando potência instalada de 808,9 MW. O volume de energia negociado no certame ficou em 327 MW médios, a um preço médio de venda de R$ 99,48 por MWh. O investimento na construção das hidrelétricas é estimado R$ 3,2 bilhões.

 

Participaram como compradores 27 distribuidoras de energia elétrica. Elas assinarão contratos de compra e venda de energia de 30 anos de duração, válidos a partir de 2015 – quando os projetos entrarão em operação –, com os empreendedores dos projetos. O volume financeiro desses contratos chegará a R$ 8,5 bilhões no período. Veja abaixo o resultado geral do Leilão de Hidrelétricas A-5/2010:

 


Leilão de Hidrelétricas A-5/2010 Resumo do resultado final:

Usina

Vencedor

Rio

Potência

(MW)

Energia contratada

(MW médios)

Preço de venda

(R$/MW)

Garibaldi (SC)

TPI

Canoas

177,9

58

107,98

Colíder (MT)

Copel

Teles Pires

300

125

103,40

Ferreira Gomes (AP)

Alupar

Araguari

252

105

69,78

Pirapora (SP)

Emae

Tietê

25

16

154,49

Canaã (RO)

Mega Energia

Canaã

17

7

153,98

Jamari (RO)

Mega Energia

Jamari

20

9

154,23

Santa Cruz de Monte Negro (RO)

Mega Energia

Jamari

17

7

153,73

TOTAL

327

99,48

 

 

 

 

Na avaliação do presidente da Empresa de Pesquisa Energética – EPE, Mauricio Tolmasquim, o resultado do leilão é positivo, pois mostra que o investimento na construção de usinas hidrelétricas é atraente para o capital privado (majoritário entre os investidores) a um preço interessante para o consumidor final.

 

“Além de importante para a segurança do sistema elétrico e para a manutenção do grande percentual de renovabilidade da matriz energética, a expansão hidrelétrica é um investimento interessante para o investidor privado. Vamos continuar trabalhando para viabilizar outras hidrelétricas no leilão do final do ano”, disse Tolmasquim.


Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar