acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energia

Leilão da Aneel tem deságio de 12,76%

12/07/2013 | 15h25

 

O leilão da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para atrair novos investidores na expansão da capacidade de distribuição de energia no país, ocorrido nesta sexta-feira (12), na sede da BM&F Bovespa, teve um deságio médio de 12,76% sobre a soma da receita prevista no edital de licitação. O valor total atingiu R$ 78,04 milhões, ante R$ 89,4 milhões do valor da Receita Anual Permitida (RAP) de referência.
A avaliação do diretor da Aneel, André Pepitone da Nóbrega, é que o resultado foi um sucesso. Segundo explicou, quando há deságio no leilão, o consumidor é beneficiado, porque a tarifa tende a ser menor. “Tivemos um resultado muito positivo”, disse ele.
Foram negociados cinco dos sete lotes projetados para oito estados, além do Distrito Federal. O maior deles é formado de empreendimentos a serem desenvolvidos na Bahia e no Piauí, com RAP sugerida de R$ 31,6 milhões. O resultado teve deságio de 13,46% sobre a receita prevista inicialmente.
O vencedor foi o Consórcio Big Energia, formado pelo Fundo de Investimento em Participações Caixa Milão, Bimetal Energia S.A e Geoenergia Soluções de Sistema de Energia Ltda. O edital prevê o compromisso de o vencedor entregar as obras de linhas de transmissão e subestações em um prazo de 36 meses.
Não tiveram interessados os empreendimentos oferecidos no Acre, no valor de receita de R$ 32,9 milhões, e o previsto para o Rio Grande do Norte, com RAP de R$ 10,6 milhões.
O diretor da Aneel informou que os dois lotes que não despertaram interesse serão reavaliados e colocados novamente em oferta, ainda este ano. Ele disse que a falta de interessados para o lote no Rio Grande do Norte foi uma surpresa. Já em relação ao Acre, atribuiu o problema ao fato de o investimento envolver dificuldades de impacto ambiental.

O leilão da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para atrair novos investidores na expansão da capacidade de distribuição de energia no país, ocorrido nesta sexta-feira (12), na sede da BM&F Bovespa, teve um deságio médio de 12,76% sobre a soma da receita prevista no edital de licitação. O valor total atingiu R$ 78,04 milhões, ante R$ 89,4 milhões do valor da Receita Anual Permitida (RAP) de referência.


A avaliação do diretor da Aneel, André Pepitone da Nóbrega, é que o resultado foi um sucesso. Segundo explicou, quando há deságio no leilão, o consumidor é beneficiado, porque a tarifa tende a ser menor. “Tivemos um resultado muito positivo”, disse ele.


Foram negociados cinco dos sete lotes projetados para oito estados, além do Distrito Federal. O maior deles é formado de empreendimentos a serem desenvolvidos na Bahia e no Piauí, com RAP sugerida de R$ 31,6 milhões. O resultado teve deságio de 13,46% sobre a receita prevista inicialmente.


O vencedor foi o Consórcio Big Energia, formado pelo Fundo de Investimento em Participações Caixa Milão, Bimetal Energia S.A e Geoenergia Soluções de Sistema de Energia Ltda. O edital prevê o compromisso de o vencedor entregar as obras de linhas de transmissão e subestações em um prazo de 36 meses.


Não tiveram interessados os empreendimentos oferecidos no nordeste do Maranhão, no valor de receita de R$ 32,9 milhões, e o previsto para o Rio Grande do Norte, com RAP de R$ 10,6 milhões.


O diretor da Aneel informou que os dois lotes que não despertaram interesse serão reavaliados e colocados novamente em oferta, ainda este ano. Ele disse que a falta de interessados para o lote no Rio Grande do Norte foi uma surpresa. Já em relação ao Acre, atribuiu o problema ao fato de o investimento envolver dificuldades de impacto ambiental.

 

*O texto foi alterado para acréscimo de informações às 17h02 do dia 15/07/2013.



Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar