acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energia

Justiça Federal suspende obras da hidrelétrica Teles Pires

02/08/2012 | 10h33

 

A Justiça Federal determinou, na noite ontem, nova suspensão das obras da hidrelétrica Teles Pires, na divisa dos Estados de Mato Grosso e Pará. A decisão partiu da 5ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, em Brasília.
A ação judicial foi movida pelo Ministério Público Federal (MPF) e pelo Ministério Público do Estado do Mato Grosso (MPEMT) contra a Companhia Hidrelétrica Teles Pires S.A. (CHTP).
O MPF alega que o licenciamento da usina, localizada em terras indígenas, não poderá ter validade sem que ocorra aprovação prévia do Congresso Nacional, conforme estabelece a Constituição Federal. Além disso, as comunidades indígenas não teriam sido consultados, e as condicionantes de realização da obra não foram cumpridas.
A decisão determina que a paralisação da construção da usina de Teles Pires seja imediata, em especial, a suspensão das explosões das rochas naturais do Salto das Sete Quedas. Caso a determinação seja descumprida, os empreendedores estarão sujeitos multa diária de R$ 100 mil.

A Justiça Federal determinou, na noite ontem, nova suspensão das obras da hidrelétrica Teles Pires, na divisa dos Estados de Mato Grosso e Pará. A decisão partiu da 5ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, em Brasília.


A ação judicial foi movida pelo Ministério Público Federal (MPF) e pelo Ministério Público do Estado do Mato Grosso (MPEMT) contra a Companhia Hidrelétrica Teles Pires S.A. (CHTP).
O MPF alega que o licenciamento da usina, localizada em terras indígenas, não poderá ter validade sem que ocorra aprovação prévia do Congresso Nacional, conforme estabelece a Constituição Federal. Além disso, as comunidades indígenas não teriam sido consultados, e as condicionantes de realização da obra não foram cumpridas.


A decisão determina que a paralisação da construção da usina de Teles Pires seja imediata, em especial, a suspensão das explosões das rochas naturais do Salto das Sete Quedas. Caso a determinação seja descumprida, os empreendedores estarão sujeitos multa diária de R$ 100 mil.


 



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar