acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

Isotrol/Revergy e Ghenova entram no mercado brasileiro da energia eólica

04/09/2012 | 17h40

 

A aliança Ghenova-Isotrol irá impulsar a linha de negocio á vista do crescimento dos chamados projetos verdes no país. O novo consorcio empresarial vai levar a cabo projetos de engenharia, serviços de inspeção e due diligence de projetos, atividades de operação e manutenção, sistemas de controle, projetos de management, technical assets e direções de obra para o setor de energia eólica.
Esta colaboração representa um passo a mais na aposta das empresas pela diversificação e a expansão internacional, assim como um reforço de a sua presença em países com um grande potencial energético, como é o caso do Brasil, onde a aliança presenta entre suas credenciais mais de 200 MW de potencia de origem eólico já gerenciados em dito território.
Não se descarta a extensão do acordo a outros países de América Latina, uma zona onde o impulso das energias renováveis é prioritário e onde se espera poder contribuir com o desenvolvimento do setor eólico, já que há uma previsão de que seja experimentado um crescimento nos próximos anos.

A aliança Ghenova-Isotrol irá impulsar a linha de negocio á vista do crescimento dos chamados projetos verdes no país. O novo consorcio empresarial vai levar a cabo projetos de engenharia, serviços de inspeção e due diligence de projetos, atividades de operação e manutenção, sistemas de controle, projetos de management, technical assets e direções de obra para o setor de energia eólica.


Esta colaboração representa um passo a mais na aposta das empresas pela diversificação e a expansão internacional, assim como um reforço de a sua presença em países com um grande potencial energético, como é o caso do Brasil. A aliança representa entre suas credenciais mais de 200 MW de potencia eólica já gerenciados no território.


Não se descarta a extensão do acordo a outros países de América Latina, uma zona onde o impulso das energias renováveis é prioritário e onde se espera poder contribuir com o desenvolvimento do setor eólico, já que há uma previsão de que seja experimentado um crescimento nos próximos anos.

 



Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar