acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Rio Pipeline 2007

Investimentos da Petrobras na área de dutos chegam a US$ 7,5 bilhões

03/10/2007 | 00h00
Até 2012, a Petrobras vai construir mais de 4,56 quilômetros de dutos, 10 estações de compressão, 31 city gates e dois terminais de GNL, com investimentos que superam o total de US$ 7,5 bilhões e deverão gerar mais de 17 mil empregos diretos e 51,2 mil indiretos. A informação é do gerente geral de Engenharia da Petrobras, Henídio Queiroz Jorge, que participou nesta terça-feira (2) do painel “Os desafios para o aumento da malha de dutos no Brasil”, na Rio Pipeline 2007.



Na Malha Sudeste, deverão entrar em operação, ainda este ano, o gasoduto Campinas-Rio e o trecho Cacimbas-Vitória, do Gasene, para integrar as regiões Sudeste e Nordeste do país. “Já na Malha Nordeste, entrarão em operação até o final de 2007 os gasodutos Atalaia-Itaporanga e Itaporanga-Pilar”, disse o gerente geral de Planejamento e Implantação de Logística e Gás Natural da estatal, Celso Luiz Silva Pereira de Souza.



Segundo Souza, o mercado de gás natural no Brasil vem crescendo a taxas de 15% ao ano desde 2001, com destaque para os usos industrial e automotivo. Em 2006, foram 46,3 milhões de metros cúbicos dia. Para 2012, estão estimados 134 milhões de metros cúbicos por dia.



O cenário do transporte de líquidos também é de crescimento. “Com taxas anuais acima de 5% ao ano, a logística de líquidos vai ser desafiada pelos planos de investimento da Petrobras”, destacou o gerente geral de Planejamento Operacional da área de abastecimento da companhia, Carlos Felipe Guimarães Lodi. “Os principais desafios ficam por conta de pessoal capacitado para gerenciar projetos, demora na obtenção de licenças ambientais e dificuldades para aquisição de equipamentos como esferas e compressores, cujo prazo de entrega chega a 450 dias”, resumiu.



Mercado brasileiro de gás deve crescer 86% até 2015



As distribuidoras de gás canalizado registraram, em agosto deste ano, recorde de venda, com 42 milhões de metros cúbicos por dia, sendo 60% para o setor industrial. Secretário executivo da Associação Brasileira das Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás), Francisco Barros acredita que o mercado de gás natural deve crescer 86% até 2015, passando da média de 38,6 milhões de metros cúbicos por dia, registrada no ano passado, para 71,8 milhões de metros cúbicos.



Barros, que participou do painel “Os desafios para o aumento da malha de dutos no Brasil”, disse que as distribuidoras deverão construir 14,4 mil quilômetros de rede, alcançando um total de 28,7 mil quilômetros em 2012. O investimento das empresas para os próximos 10 anos é estimado em R$ 10 bilhões. “Sem contar com R$ 6 bilhões adicionais nos próximos cinco anos se tivermos um marco regulatório bem definido e preços competitivos”, concluiu Barros.

Fonte: Da redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar