acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Cosan

Investimento total na Uniduto será de R$ 1,64 bi

27/08/2008 | 04h46

O diretor Financeiro e de Relações com Investidores da Cosan, Paulo Diniz, informou hoje que o investimento total dos sócios da Uniduto, empresa criada para construir e operar um sistema de dutos entre o interior e o litoral paulista, será de R$ 1,64 bilhão. A Uniduto foi criada, em março deste ano, pela Cosan em conjunto com a Copersucar e a Crystalsev.

 

Na primeira fase do projeto, que vai de 18 meses a dois anos, os aportes devem somar R$ 60 milhões, divididos igualmente entre os acionistas. Para a segunda fase, a Uniduto deve buscar, de forma independente, o funding (recursos) para o projeto. "O objetivo é de que a empresa seja independente e vá buscar o funding disso", afirmou Diniz.

 

Ele detalhou que os investimentos na primeira fase estarão limitados aos itens necessários ao funcionamento inicial da companhia, como estudos de viabilidade, obtenção de licenças e projetos de detalhamento técnico. A fase posterior deve abranger a construção do alcoolduto, a partir de 2010.
Os primeiros testes no empreendimento devem ser feitos no primeiro semestre de 2011.

 

A Cosan estima que, com o alcoolduto, será possível reduzir de 35% a 40% o custo logístico com o etanol, além de ampliar a capacidade de exportação. "Hoje, o Brasil exporta entre 3 e 3,5 bilhões de litros de etanol por ano. Com o duto, teremos uma capacidade superior a 14 bilhões de litros anuais", disse Diniz.

 

O alcoolduto ligará o terminal portuário de Santos e a cidade de Paulínia, com ramificações para as cidades de Conchas e Ribeirão Preto. Questionado sobre uma possível participação da Petrobras no projeto, Diniz mencionou a possibilidade de a estatal aproveitar o projeto, já fechado pelos parceiros privados, para ampliá-lo a outras regiões do País.

 

"Eles podem aproveitar as obras onde pararemos, em Ribeirão Preto, para estender ao sul de Minas e Goiás. Ou aproveitar a perna de Conchas para o Mato Grosso do Sul.
Esse desenho não se mostrou viável para nós, mas pode ser interessante em termos estratégicos para o País", disse.

 

Na área logística, a Cosan também atua em parceria com a Nova América, sendo sócias na Rumo Logística. Os terminais portuários das duas empresas estão sendo integrados, possibilitando uma capacidade de carregamento de 8 milhões de toneladas. "Com investimentos entre R$ 30 milhões e R$ 40 milhões após a integração, é possível reorganizar a logística para carregar três navios ao mesmo tempo", afirmou o executivo durante encontro com analistas e investidores.

A expectativa é de que o terminal portuário tenha três docas e cinco carregadores de navios. A Cosan possui 72% de participação da Uniduto e a Nova América, 28%.



Fonte: Agência Estado
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar