acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
publicidade
Logística

Infraestrutura de escoamento de gás do pré-sal terá sua capacidade aumentada, diz Petrobras

26/07/2018 | 11h54
Infraestrutura de escoamento de gás do pré-sal terá sua capacidade aumentada, diz Petrobras
Agência Petrobras Agência Petrobras

Rio Oil & Gas 2018

A Petrobras está aumentando a sua capacidade de escoamento de gás no sistema de gasodutos da Rota 1 do pré-sal para atender à produção futura da Bacia de Santos e melhorar as condições de suprimento de gás natural para o mercado brasileiro.

Para isso, a companhia iniciou na terça-feira, 24/7, uma parada programada de 45 dias da plataforma de Mexilhão. Além de melhorias da estrutura logística, as obras também servirão para atender às inspeções obrigatórias de segurança, estabelecidas pelo Ministério do Trabalho. Após essa intervenção a estrutura logística de escoamento do pólo pré-sal da Bacia de Santos terá capacidade para exportar gás até a unidade de tratamento de Caraguatatuba, em São Paulo, de forma integrada aos outros sistemas de gasodutos da Petrobras.

Em reunião realizada com as distribuidoras de gás natural esta semana, a Petrobras apresentou as ações já realizadas para evitar qualquer impacto no fornecimento do produto durante os trabalhos que estão sendo realizados. Entre as medidas já adotadas estão o aumento da capacidade de regaseificação do terminal da Bahia, de 14,0 para 20,0 milhões de metros cúbicos por dia (m3/dia), a disponibilização de navio regaseificador para a operação do terminal da Baía de Guanabara/RJ com capacidade de ofertar outros 14,0 milhões de m3/dia de gás natural e a redução na demanda de termelétricas que tiveram suas paradas programadas concentradas no período previsto para a parada de Mexilhão.

As ações e soluções tomadas pela Petrobras estão dentro das regras contratuais e garantem o abastecimento de gás natural no Brasil. O cronograma de paradas das termelétricas foi discutido e articulado junto ao Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), também de forma antecipada, buscando o mínimo impacto possível ao setor.

Adicionalmente, vale registrar que a parada de Mexilhão precisa ser realizada neste período em função de exigência legal prevista em norma de segurança do Ministério do Trabalho (NR-13), que fixa períodos para inspeção dos vasos de pressão das instalações industriais.

A parada de Mexilhão possibilitará a interligação submarina de novo trecho do gasoduto ao já existente, permitindo separação da produção de gás do pré-sal e do pós-sal. Durante o período de parada da plataforma, estão sendo realizados melhoramentos também na unidade de tratamento de gás de Caraguatatuba, incluindo a adequação do sistema e automação e implantação de estruturas para futuras conexões de estações de medição.



Fonte: Redação/Agência Petrobras
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar